Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Cetesb multa mineradora em R$ 5 mi por rompimento de barragem

Incidente ocorreu no dia 5 de fevereiro e afetou cerca de 600.000 pessoas que dependem do rio Paraíba do Sul para o abastecimento de água

Por Da Redação 16 fev 2016, 08h23

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) multou a mineradora Rolando Comércio de Areia em 5 milhões de reais pelo lançamento de resíduos no Rio Paraíba do Sul. A empresa é responsável pela lagoa de mineração de areia que se rompeu em 5 de fevereiro, em Jacareí, no interior de São Paulo. Cabe recurso. O lançamento de rejeitos ocorreu quando a mineradora fazia as atividades de extração em uma cava de areia próxima ao rio que corta o Vale do Paraíba. O vazamento foi contido em um dia.

Leia mais:

Cetesb exige estudo de reparo de barragem que se rompeu no Paraíba do Sul

Segundo a Cetesb, a empresa depositava irregularmente os resíduos de mineração na cava da Meia Lua 1, de propriedade de uma outra mineradora com atividades paralisadas e em processo de renovação de licença. O lançamento não autorizado elevou o nível de sedimentos na lagoa, o que resultou no rompimento da estrutura.

O aumento da turbidez do rio provocou a paralisação da captação de água em municípios da região do Vale do Paraíba, prejudicando cerca de 600.000 habitantes. Em São José dos Campos (SP), o fornecimento de água foi interrompido para 70% da cidade por quase um dia, segundo informações da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Em Pindamonhangaba, também houve interrupção no abastecimento na semana passada devido a problemas na qualidade da água causados pelos rejeitos.

(Com Agência Brasil)

Continua após a publicidade

Publicidade