Clique e assine com até 92% de desconto

Ceará registra 51 assassinatos em 48 horas de motim da Polícia Militar

Média de mortes no estado em 2020 era de 6 por dia; policiais e bombeiros fecharam batalhões para pressionar por aumento salarial

Por Da Redação 21 fev 2020, 22h21

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará informou que, desde o início do motim de policiais e bombeiros militares no estado por aumento salarial, na noite de terça-feira, 18, até a manhã desta sexta-feira, 21, foram registrados um total de 51 assassinatos, uma média de 25,5 por dia, considerando um intervalo de 48 horas.

Os crimes englobam casos que se enquadram como homicídio doloso, feminicídio, lesão corporal seguida de morte e latrocínio. Todas as mortes aconteceram entre as 6h de quarta e as 6h desta sexta. Antes do motim de integrantes das forças de segurança estaduais, a média de assassinatos no Ceará era 6 por dia em 2020.

  • Desde a manhã desta sexta, militares das Forças Armadas atuam no policiamento nas ruas e avenidas de Fortaleza. A presença de tropas federais foi uma solicitação do governador Camilo Santana ao governo federal, que decretou Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no Ceará até o dia 28.

    Também por solicitação do governo do Ceará, um contingente de 120 homens da Força Nacional de Segurança chegou ao estado para se somar ao efetivo de patrulhamento ostensivo. Eles permanecerão na região por 30 dias.

    (com Agência Brasil)

    Continua após a publicidade
    Publicidade