Cármen Lúcia: ‘a Lava Jato não está ameaçada’

Em entrevista ao programa "Conversa com Bial", da Rede Globo, a presidente do STF preferiu não avaliar a situação jurídica do ex-presidente Lula

Por Da redação - Atualizado em 3 maio 2017, 12h57 - Publicado em 3 maio 2017, 09h53

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, garantiu que a Lava Jato não corre riscos, mesmo com as recentes revogações de prisões preventivas de condenados em primeira instância pelo juiz Sergio Moro, responsável pela operação em primeira instância.

“A Lava Jato não está ameaçada, não estará. Eu espero que aquilo que cantei como hino nacional a vida inteira, nós do Supremo saibamos garantir aos senhores cidadãos brasileiros, de quem somos servidores: verás que um filho teu não foge à luta”, afirmou a ministra em entrevista ao programa “Conversa com Bial”, da Rede Globo, na madrugada desta quarta-feira.

A descontraída conversa com o apresentador Pedro Bial foi gravada nesta segunda-feira – antes, portanto, da decisão do STF que deu liberdade ao ex-ministro José Dirceu, nesta terça. Na semana passada, o Supremo mandou soltar outros três presos: o pecuarista José Carlos Bumlai, o ex-tesoureiro do PP João Cláudio Genu e o empresário Eike Batista.

A ministra também foi questionada pelo apresentador sobre a possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser candidato à Presidência em 2018, mas preferiu não avaliar a situação jurídica do petista. A presidente do Supremo afirmou que dependerá da condição de Lula em outras instâncias. “Não há como, abstratamente, dizer isto”, explicou. A ministra ainda afirmou que a legislação eleitoral a ser aplicada em 2018 pode mudar até 16 de setembro.

Publicidade