Clique e assine a partir de 9,90/mês

Câmara aprova urgência da votação do projeto anticorrupção

Deputados também rejeitaram um requerimento que pedia votações nominais durante todo o processo do pacote anticorrupção na Casa

Por Da Redação - 24 nov 2016, 14h09

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira a votação em regime de urgência do pacote das medidas de combate à corrupção aprovado nesta madrugada na comissão especial. A urgência foi aprovada por 312 votos sim, 65 contrários e duas abstenções.

Em seguida, o presidente da sessão, deputado Beto Mansur (PRB-SP), anunciou que entraria na votação de mérito da matéria, mesmo sob protesto de alguns parlamentares.

Após a aprovação da urgência na apreciação das medidas anticorrupção, os deputados rejeitaram um requerimento apresentado pelo Psol que pedia a votação nominal obrigatória em todas as etapas da votação do pacote.

A rejeição abre espaço para que os parlamentares derrubem em plenário o parecer elaborado pelo relator das medidas contra a corrupção, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), aprovado por unanimidade na noite de ontem em comissão especial. Sem a obrigação de votações nominais, ou seja, que identificam como cada deputado votou, os parlamentares poderão se colocar contra o relatório sem deixar suas digitais.

Continua após a publicidade

Os líderes partidários na Câmara e o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), articularam a apresentação de um texto alternativo ao relatório de Lorenzoni, que preveria a anistia ao caixa dois eleitoral e punições a juízes e procuradores por crime de responsabilidade.

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade