Clique e assine a partir de 8,90/mês

Brasileiros ficam presos em aeroporto argentino

Por Guilherme Amorozo - 27 jul 2008, 22h29

Centenas de brasileiros ficaram retidos neste fim de semana no Aeroporto Internacional de Ezeiza, em Buenos Aires, devido a atrasos e cancelamentos de vôos da Aerolineas Argentinas. A situação, atribuída pelo governo local a um overbooking e a problemas de manutenção, transformou os aeroportos argentinos num martírio para milhares de passageiros. Alguns permaneceram mais de 30 horas esperando uma solução para o problema. “Houve uma excessiva venda de passagens ante a escassez de aviões disponíveis para a temporada de inverno”, informou neste domingo o novo presidente das Aerolineas Argentinas-Austral, Julio Alak, designado na semana passada pelo governo de Cristina Kirchner.

Entre os brasileiros retidos em Ezeiza, estão muitos turistas, que se queixaram da falta de informação e, principalmente, das dificuldades de acomodação e alimentação. “Foram vendidas passagens como se os aviões estivessem funcionando em pleno vapor e só está voando pouco mais da metade da frota’, explicou Edgardo Llano, secretário-geral do sindicato Associação do Pessoal Aeronáutico. O problema começou porque o governo argentino assinou na segunda-feira passada o acordo de reestatização das companhias Aerolineas Argentinas (AA) e Austral, em crise depois de sete anos em poder do grupo espanhol Marsans.

(Com agência France-Presse)

Publicidade