Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolsonaro faz alerta contra ‘invasão chinesa’ no Brasil

Expoente da direita radical critica venda de empresa de sementes de milho no país, que pertencia a uma multinacional americana, para um fundo chinês

Por Da Redação - 10 dez 2017, 18h39

O pré-candidato à Presidência nas eleições de 2018 e hoje deputado federal Jair Bolsonaro usou as redes sociais neste domingo para fazer um alerta sobre uma suposta invasão chinesa no agronegócio brasileiro.

“(A) China assume controle de 20% do mercado de sementes de milho no Brasil”, escreveu Bolsonaro em sua conta no Twitter, em referência à conclusão da venda da unidade de sementes de milho que pertencia à multinacional americana Dow AgroSciences para o fundo chinês Citic Agri. Essa participação de mercado citada pelo deputado coloca a nova empresa, chamada de LP Sementes, em terceiro lugar no segmento nacional.

O político complementou dizendo que “o país está perdendo o controle da produção primária e da sua própria segurança alimentar”. Por fim, no mesmo tuíte, ele urgiu: “É preciso estabelecer limites legais, urgentes e propositalmente não utilizados nesta área”.

As aquisições de grupos chineses no Brasil são um dos temas preferidos do deputado federal pelo Partido Social Cristão (PSC-RJ). Bolsonaro, que adota um discurso nacionalista, já afirmou em ocasiões anteriores que é a favor da privatização da Petrobras, desde que não seja para uma empresa chinesa.

Continua após a publicidade

O Citic Agri Fund foi criado em 2016 pela chinesa Citic Agriculture, que faz parte de um dos maiores conglomerados industriais chineses, a Citic, em parceria com investidores privados do país asiático. Os ativos adquiridos pelo fundo geraram uma receita estimada em quase 1 bilhão de reais no ano passado.

A Dow AgroSciences colocou a sua unidade de sementes de milho no Brasil à venda para cumprir com exigências das autoridades regulatórias nacionais para que a sua fusão com a também americana DuPont fosse aprovada.

 

Publicidade