Clique e assine a partir de 9,90/mês

Boicotes à carne e lista de Janot nas manchetes de 21/03/17

Reações internacionais após operação da Polícia Federal fazem governo brasileiro suspender frigoríficos sob suspeita

Por Da redação - Atualizado em 21 mar 2017, 15h23 - Publicado em 21 mar 2017, 07h14

As restrições à carne brasileira dos frigoríficos envolvidos na Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, foi o assunto principal dos maiores jornais do país. Após União Europeia, China, Coreia do Sul e Chile pedirem explicações ao governo brasileiro e prometerem dificultar a entrada do produto em seus territórios, o ministro da Agricultura do Brasil, Blairo Maggi, anunciou que as 21 empresas sob suspeita terão a licença para exportação suspensas. O Globo traz também a informação de que o ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes, e o governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, fazem parte da lista enviada ao STF pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

O Estado de S.Paulo
Importadores anunciam restrições à carne brasileira

União Europeia, China, Coreia do Sul e Chile anunciaram algum tipo de restrição à importação de carne brasileira, no maior efeito econômico da Operação Carne Fraca. Juntos, esses mercados representam 34,42% das vendas externas de carne bovina do Brasil.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

ONU confirma calor recorde e diz que clima entrou em “território desconhecido”
Informe anual publicado pela Organização das Nações Unidas (ONU) confirma que 2016 bateu todos os recordes de temperatura, 2017 mantém essa tendência e o clima mundial entrou “território desconhecido”. As pesquisas indicam que as mudanças n Polo Norte e o degelo no Ártico estão afetando o clima em outras partes do mundo.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Folha de S.Paulo
Governo susta venda no exterior de 21 frigoríficos

Em resposta ao anúncio de restrições à carne brasileira de quatro mercados consumidores (União Europeia, China, Chile e Coreia do Sul), o Ministério da Agricultura suspendeu a licença de exportação dos 21 frigoríficos investigados – 0,4% do total, de 4.837.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

O Globo

Países suspendem compras em frigoríficos investigados

União Europeia, China, Coreia do Sul e Chile anunciaram restrições à importação de carne brasileira. Em resposta, o governo Temer decidiu impedir a exportação dos 21 frigoríficos investigados pela Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal.

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Paes e Alckmin na lista de Janot

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedidos de abertura de inquérito contra mais de dez governadores em exercício, entre eles o de São Paulo, Geraldo Alckmin, do PSDB, que disputou a Presidência em 2006. O ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB) também aparece na relação enviado ao Supremo.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Valor Econômico
Operação Carne Fraca já afeta as exportações

Quatro importantes parceiros comerciais brasileiros suspenderam ontem, total ou parcialmente, as importações de carnes até que Brasília explique os que se passa na fiscalização sanitária de frigoríficos produtores. China, União Europeia, Chile e Coreia do Sul importaram quase US$ 4 bilhões em carnes brasileiras em 2016.

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Jornal do Commercio (PE)

Começa o embargo à carne brasileira

Chile, China e todos os países da Europa participantes da União Europeia já suspenderam a importação de carne brasileira proveniente das empresas investigadas pela Operação Carne Fraca. A Coreia do Sul, inicialmente, também havia vetado a compra, mas voltou atrás.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Zero Hora (RS)

Temer enfrenta disputa interna e restrições a carne no Exterior

O escândalo das carnes brasileiras, deflagrado após operação da Polícia Federal na semana passada, aumentou a pressão sobre o presidente Michel Temer, que tenta minimizar os danos políticos em um período em que tenta passar reformas no Congresso e tenta conter disputas internas do governo.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Publicidade