Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Base rejeita mais uma tentativa de convocar Pimentel

Por Eduardo Bresciani

Brasília – A base aliada se mobilizou novamente hoje para impedir a convocação do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. A tentativa da oposição foi a de levar o ministro à Comissão de Relações Exteriores da Câmara para falar sobre uma resolução que trata de tarifas do Mercosul. Diante das denúncias sobre a atividade de consultor de Pimentel, porém, a base não aceitou trazer o ministro à Câmara.

“Devemos ter cuidado com a vulgarização da desestabilização de homens públicos que se dedicam ao País”, justificou o deputado Henrique Fontana (PT-RS) ao encaminhar a orientação da base de rejeitar o requerimento. Autor do pedido, o deputado Stepan Nercessian (PPS-RJ) criticou a postura dos governistas e lembrou que outros ministros “blindados”, como Antonio Palocci, acabaram deixando o governo. “Não foi impedindo a convocação de ministros que se garantiu a permanência deles. Todos caíram”, disse Nercessian.

O deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP) destacou que rejeitar a convocação de Pimentel para falar de um assunto sobre sua pasta o fragiliza. “Se toda vez que um ministro estiver sob suspeita não puder vir, nós criamos uma situação inacreditável. Se o ministro não pode vir para falar de nada, ele fica reconhecidamente como um pato manco”, avaliou o tucano.

A oposição também tentou novamente levar o ministro à Comissão de Fiscalização e Controle. Lá, porém, a base impediu a colocação do requerimento na pauta sob o argumento que um pedido do mesmo teor já foi rejeitado na semana passada. Pimentel tem sido cobrado nas últimas semanas a dar explicações sobre suas atividades de consultor durante os anos de 2009 e 2010. Empresas clientes dele fecharam contratos com a prefeitura de Belo Horizonte, que foi comandada por Pimentel até 2008. O ministro nega qualquer irregularidade.