Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bahia: motim tem 7 mortos, 1 decapitado e crianças reféns

Rebelião em presídio de Feira de Santana começou neste domingo durante a visita de familiares e seria motivada por guerra entre facções rivais

Por Da Redação - 25 maio 2015, 08h17

Uma rebelião iniciada neste domingo no Conjunto Penal de Feira de Santana (BA), segunda maior cidade da Bahia, a 110 quilômetros de Salvador, deixou ao menos oito detentos mortos, um deles decapitado. Armados com facas e revólveres, os presos fizeram reféns 41 mulheres, entre elas três gestantes, um homem e sete crianças que foram à cadeia para o dia de visitas por volta das 14h30. O motim só terminou por volta das 10 horas desta segunda-feira, de acordo com informações da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização da Bahia.

A pasta informou que os presos foram controlados e levados de volta às celas, além de terem passado por revista e entrevista com agentes penitenciários. De acordo com a Polícia Militar, foram apreendidos com os presos dois revólveres e uma pistola.

A rebelião teria começado após uma briga entre facções rivais pavilhão 10 do presídio, que abriga mais que o dobro da capacidade de internos. Segundo relatório publicado na última terça-feira pela Administração Penitenciária, o presídio tem capacidade para apenas 644 detentos, mas abriga atualmente 1 467 – 823 a mais. O pavilhão 10 do conjunto tem capacidade para 152 presos, mas abriga mais do que o dobro, 336.

Na tarde de domingo, os líderes do motim exigiram a presença de vereadores da comissão de Direitos Humanos da Câmara de Feira de Santana e chegaram a liberar cinco feridos. Mas decidiram manter o levante no presídio até esta segunda-feira. O Comando da Polícia Militar na região e a direção do presídio conduziram as negociações.

Continua após a publicidade

(Da redação)

Publicidade