Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Autor de cotovelada brutal pede perdão, mas segue preso

Tribunal de Justiça de São Paulo decretou a prisão preventiva do agressor Anderson Lúcio de Oliveira, que está preso há quase um mês

O Tribunal de Justiça de São Paulo decretou nesta terça-feira a prisão preventiva do comerciante Anderson Lúcio de Oliveira, de 35 anos, autor da cotovelada brutal na auxiliar de produção Fernanda Regina Cesar, na saída de uma boate em São Roque, no interior de São Paulo, no dia 16 de agosto. O acusado está preso na cadeia pública da cidade. Com a decisão, ele deve continuar encarcerado até o julgamento – Oliveira foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado. Cabe recurso.

O decreto foi proferido uma semana depois de o agressor pedir perdão à Fernanda por meio de uma nota enviada do presídio para o seu advogado, Carlos Alberto Alves. No documento, ele se diz “completamente arrependido”, e estende o pedido de desculpas à sua mãe e a todas mulheres que “se sentiram ofendidas” com a agressão. Apesar do arrependimento, no final da nota, ele afirma que “concede perdão” à Fernanda pelas “palavras proferidas naquele dia” contra ele e sua família.

Três dias antes de a carta chegar ao advogado de Oliveira, Fernanda havia anunciado, em coletiva de imprensa, que perdoaria o agressor se ele “pedisse desculpas”. Na ocasião, ela também falou sobre o motivo da briga que resultou na violência: o ciúmes de uma vizinha, parente de Anderson. “Fui falar com ele com intenção de dar um ‘chega’. Para evitar discussão. Ele é parente de uma vizinha minha, que é cismada comigo e vive me provocando e ameaçando. Eu moro em uma casa geminada à dela [Luzinete], e ela tem ciúmes do marido”, disse.

O golpe de Oliveira foi flagrado por uma câmera de segurança de uma loja de motos, vizinha da boate. Nas imagens, a vítima aparece discutindo com o comerciante, quando de repente ele a golpeia na cabeça. Ela cai no chão desacordada e ele não presta socorro. Na mesma noite, Fernanda foi encaminhada ao hospital em estado grave e diagnosticada com traumatismo craniano. Ela ficou internada durante quinze dias, e continua em tratamento.

A defesa de Oliveira contesta a acusação da Polícia Civil, alegando ser um caso de lesão corporal grave. Na nota, o agressor destaca que não teve intenção de matar Fernanda e que ficou “aliviado” ao saber que ela havia recebido alta.

Leia a íntegra da nota enviada por Oliveira:

1 – Peço expressamente a Fernanda Regina Cezar, o mais sincero perdão pelo ato impensado que cometi e reafirmo novamente que em momento algum tive qualquer intenção de atentar contra a sua vida. Esclareço também que na primeira oportunidade que tiver e se for de sua vontade, não hesitarei em lhe pedir perdão pessoalmente.

2 – Externo ainda através desta, o meu sentimento de alegria e alívio por saber de sua alta médica e da ótima recuperação de seu estado de saúde.

3- Concedo também a Fernanda, o perdão pelas palavras proferidas naquele dia contra a minha pessoa e a minha família.

4- Peço perdão também a minha amada mãe e a minha família e estendo este humilde pedido a todas as pessoas, principalmente as mulheres, que se sentiram ofendidas.

Reafirmo que estou completamente arrependido do ato impensado que cometi e jamais tive qualquer intenção de atentar contra a vida da vítima.