Clique e assine a partir de 9,90/mês

Assassino do cartunista Glauco é preso por latrocínio em Goiás

Carlos Eduardo Sundfeld Nunes estava solto desde agosto de 2013

Por Da Redação - 1 set 2014, 16h23

Foi preso nesta segunda-feira, em Goiânia, Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 29 anos, o Cadu, assassino confesso do cartunista Glauco Vilas Boas e do filho dele, Raoni Vilas Boas, em 2010. O rapaz estava com um outro homem e tentava fugir de uma abordagem policial feita por um delegado, que suspeitou da dupla por causa do carro, um Honda Civic roubado.

Os dois são suspeitos de cometerem latrocínio – roubo seguido de morte – e uma tentativa de latrocínio em Goiânia, no final de semana. Cadu estava solto desde agosto de 2013, quando a Justiça de Goiás decidiu dar alta ao infrator, diagnosticado como doente mental. Declarado inimputável pela Justiça em 2011, por ser considerado incapaz de responder pelos seus atos, ele havia sido transferido para uma clínica psiquiátrica em Goiás, onde mora o pai.

Leia também:

Memória: A trajetória de Glauco, o ‘pai’ de Geraldão

Mortes – O assassinato de Glauco e seu filho ocorreu no dia 12 de março de 2010 em Osasco, na Grande São Paulo. Na época, sob efeito de maconha, haxixe e uma mistura de ervas do chamado Santo Daime, Cadu invadiu a Igreja Céu de Maria, fundada por Glauco, e matou o cartunista e o filho dele.

De acordo com o Laudo Psiquiátrico e Psicológico de Sanidade Mental, os assassinatos ocorreram em um momento de surto, uma vez que foi diagnosticado que Cadu sofre de esquizofrenia paranoide – o que o torna incapaz de perceber a gravidade dos seus atos. Após o duplo homicídio, Cadu tentou fugir para o Paraguai, armado e dirigindo um carro roubado, mas acabou sendo preso na fronteira com o país dois dias depois.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade