Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Assaltante é amarrado a poste em Itajaí (SC)

Caminhoneiros espancam e prendem com corda por 30 minutos homem que roubou lanchonete. Caso é semelhante ao do garoto atado pelo pescoço no Rio

Por Da Redação - 14 fev 2014, 09h59

Mais uma vez, o Brasil assiste a um caso de punição decidida por grupos à revelia da lei. Agora, em Itajaí, Santa Catarina, onde um rapaz de 26 anos foi espancado e amarrado a um poste na quinta-feira, após participar do assalto a uma lanchonete. Ferido, Rafael Chaves ficou atado por uma corda ao poste durante trinta minutos até a chegada dos policiais militares.

Em VEJA desta semana: O Brasil entre a civilização e a barbárie

Chaves e um comparsa chegaram de moto a uma lanchonete no bairro dos Cordeiros e anunciaram o assalto. Do lado de fora, um grupo de caminhoneiros percebeu o crime e retirou a chave da ignição da motocicleta. Após a ação, Chaves foi cercado e perseguido pelos caminhoneiros, enquanto o outro assaltante conseguiu fugir a pé com 2.000 reais, segundo o jornal O Estado de S. Paulo.

Após ser atendido por uma ambulância do Corpo de Bombeiros, o acusado foi detido em flagrante e encaminhado para o Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí, em Canhanduba. Chaves não tinha antecedentes criminais. Segundo o chefe de Comunicação da Polícia Militar catarinense, tenente Luis Antônio Trevisan, nenhum agressor foi encaminhado à delegacia.

Publicidade

Leia mais:

Brasil, ainda um país de justiceiros e justiçados

Adolescente preso a poste comandou surra em abrigo

Polícia Civil interroga adolescente amarrado a poste por ‘justiceiros’ na Zona Sul do Rio

Publicidade

Rio – Há duas semanas, o caso de um menor amarrado a um poste por um grupo de rapazes chocou o país. No bairro do Flamengo, a poucos metros da residência oficial do comandante da Polícia Militar, jovens autointitulados “justiceiros” castigaram e expuseram como troféu um menino de 15 anos, deixado atado pelo pescoço ao poste, com uma tranca de bicicleta.

Publicidade