Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Aprovação de fundo eleitoral e Temer nas manchetes de 5/10/17

Fundo substitui o financiamento empresarial de campanha, vetado pelo STF

Por Da redação 5 out 2017, 07h43

A aprovação do fundo eleitoral na Câmara dos Deputados está nas manchetes dos principais jornais do país nesta quinta-feira. Lei deve ser sancionada até sábado para entrar em vigor em 2018. Na Folha de S.Paulo, o destaque são críticas feitas pela defesa do presidente Michel Temer contra o ex-procurador-geral da República Rodrigo JanotDocumento entregue à Câmara chama Janot de ‘indecente’ e diz que suspeitas ainda estão em apuração.

O Globo

Fundo público de R$ 2 bi para campanhas provoca impasse
A Câmara aprovou ontem à noite, em votação simbólica, a criação de um fundo público de R$ 2 bilhões para financiar campanhas eleitorais. A reação entre os próprios deputados, porém, levou a Mesa da Câmara a fazer nova votação, nominal, para confirmar ou não o fundo. 

O Estado de S.Paulo
Câmara aprova fundo eleitoral com verba pública para 2018
Para que os partidos tenham acesso aos recursos públicos no pleito do próximo ano, as novas regras precisam ser chanceladas pelo presidente até sábado, um ano antes da eleição. A proposta estabelece que pelo menos 30% do valor das emendas de bancadas seja destinado à reserva eleitoral. O fundo substitui o financiamento empresarial de campanha, vetado pelo STF.

Folha de S.Paulo
Defesa de Temer compara Janot a um ‘pistoleiro’
Na defesa que rebate a segunda denúncia contra Temer, advogados do presidente comparam Janot a um “pistoleiro” com conduta “imoral e indecente”. Antes de sair do cargo, Janot acusou Temer de chefiar organização criminosa e obstruir a Justiça na Lava Jato. Sobre a primeira acusação, a defesa afirma que os crimes atribuídos ao grupo ainda estão em apuração e não foram provados.

Valor Econômico
Denúncia adia ajustes e põe as contas em risco
O governo deve adiar, para o fim de outubro ou até para novembro, o pacote de medidas, anunciado há dois meses, com o objetivo de gerar receitas e cortar despesas em 2018.

Correio Braziliense
GDF cobrará taxa de Uber, Cabify e e 99Pop e fichará motoristas
O Governo do Distrito Federal vai cobrar 1% sobre cada corrida feita por veículos que trabalham para operadoras de aplicativos virtuais. A cobrança faz parte das normas estabelecidas em quatro portarias do GDF que regulamentam o serviço. Para operar em Brasília, as empresas terão de seguir regras, como fornecer um cadastro com documento dos motoristas e dos carros.

Continua após a publicidade

Publicidade