Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Após testar positivo para Covid-19, Mariana Weickert dá à luz nesta sexta

Modelo e apresentadora, que descobriu estar com o coronavírus na reta final da gravidez, e o filho Felipe passam bem

Por Sofia Cerqueira Atualizado em 27 jun 2020, 11h10 - Publicado em 27 jun 2020, 00h05

A modelo e apresentadora Mariana Weickert, 38 anos, que no dia 18 de junho testou positivo para a Covid-19 , deu à luz a seu segundo filho no início da noite desta sexta-feira, dia 26, como informou com exclusividade a VEJA. Felipe nasceu de parto normal, às 19h19, com 3,08 quilos e 48 centímetros, no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Mariana e o bebê, que foi submetido assim que nasceu a um teste para saber se também está com o novo coronavírus – e terá que fazer um novo exame em 48 horas -, passam bem. Por precaução, ela, que apresentou apenas sintomas brandos da doença, só poderá segurá-lo e amamentá-lo de máscara. No restante do tempo, Felipe terá que ser mantido a pelo menos dois metros de distância da mãe.

Mariana, que estava na 39 semanas de gestação, havia ido ao Hospital Albert Einstein no início da tarde para fazer um novo teste com intuito de saber se ainda tinha o vírus. Mas, durante os exames, os médicos que acompanham a apresentadora, chefiados pelo obstetra Renato Kalil, verificaram que ela já estava com cinco centímetros de dilatação. O parto pôde ser acompanhado pelo marido da apresentadora, o empresário Arthur Ferraz Falk.

Hoje, a modelo e apresentadora postou algumas fotos do nascimento de Felipe no Instagram e escreveu este texto: “E ontem, dia 26/06/20, às 19:19h, num parto lindo, rápido e normal meu menino veio ao mundo! Não quis esperar dias melhores, momento mais oportuno, negativar o vírus da família ou qualquer coisa assim. Simplesmente chegou!! Boa, meu filho, gostamos de emoções. Viemos ao hospital pra “forçar uma barra” e testar o COVID esperando um resultado negativo mesmo sabendo ser praticamente impossível em apenas 9 dias pós o primeiro diagnóstico. Como já estávamos no hospital, e a noite anterior com bastante contrações, achamos melhor fazermos o cardiotoco (exame de rotina nesse final). Quando o plantonista, finalmente, nos examinou já estávamos com 5 de dilatação. Resultado; vcs não vão mais embora. Como assim? Não trouxe nada, não avisei a Tetê, não me preparei. Afinal, estavamos só tentando buscar um exame negativo dessa loucura toda pra que o nosso bebê chegasse no ambiente mais seguro possível. Não deu tempo!! E no dia exato em que Felipe completava 39 semanas dentro de mim, resolveu nascer. Lindo! Forte! No seu momento! Foi emocionante! Poderia ter sido uma daquelas histórias de filmes em que o bebê teria nascido em casa ou no caminho da maternidade. Tudo aconteceu muito rápido! E mesmo cheios de medos e inseguranças pelas circunstâncias, nosso médico @dr.renatokalil e equipe encheram a gente de amor e certezas de que esse menininho chegou na hora certa, no momento certo e que o mundo sem ele estava totalmente incompleto. Maktub! Bem vindo pra transformar e COMPLETAR o meu mundo, Felipe. Te amamos infinito desde sempre! ❤️”

Desde o início dos primeiros casos da doença no Brasil, Mariana, que é repórter especial do programa Domingo Espetacular, da TV Record, entrou de licença. Ela havia se isolado no interior do Rio de Janeiro com o marido e a filha Theresa, 2 anos. Embora tenham cumprido uma quarentena rigorosa, tanto ela como o marido apresentaram sintomas gripais leves – Mariana ficou com o nariz congestionado e meio fanha e ele com dores de cabeça –, e, por insistência de uma amiga, já de volta a São Paulo, onde moram, fizeram um teste num drive thru de um laboratório, na quinta-feira, dia 18.

Mariana relatou ainda no início da semana como estava se sentido e como tinha recebido confirmação da Covid-19: “Na verdade estou bem, aliviada pelos sintomas serem brandos. Eu estava muito assustada com a possibilidade de pegar a doença e dos sintomas serem mais fortes, agressivos. Claro que foi um susto. A gente estava se cuidando tanto, num isolamento tão drástico. Não entendo o que aconteceu. Estávamos o interior do Rio e veio para São Paulo de carro, sem parar, comendo sanduíche, bem criteriosa. Fiquei assim meio fanha, uma sensação de alérgica e meu marido com dor de cabeça. Quando saiu o resultado a gente ficou no chão porque a gente nunca imaginou.”

Mariana contou também que ficou muito assustada, sobretudo porque estava na reta final da gravidez. “Estou apavorada com a possibilidade do nascimento dele ser inseguro e de eu não ter a possibilidade de poder recebê-lo abraçando, beijando e enchendo de carinho. Isso tudo me emociona. Mas em nenhum momento, eu sinto alguma coisa que vai dar errado. Sei que estou bem assegurada, que os meus médicos estão presentes e vai dar tudo certo. Mas fico insegura com a questão de dar tempo de eu negativar até o Felipe chegar.”

No final da noite desta sexta, Felipe já estava no quarto sendo amamentado pela mãe. Pelos próximos dias, ela só poderá ter contato com o bebê usando máscara.

Continua após a publicidade
Publicidade