Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Após cobrança da ONU, PF se posiciona sobre morte de Genivaldo Santos

Polícia Federal diz estar realizando exames periciais para apurar a conduta de policias envolvidos na abordagem que vitimou homem de 38 anos, em Sergipe

Por Da Redação Atualizado em 29 Maio 2022, 00h05 - Publicado em 28 Maio 2022, 23h31

A Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informaram na noite deste sábado, 28, que darão continuidade às diligências que apuram as causas da morte de Genivaldo de Jesus Santos durante uma abordagem policial na última quarta-feira, dia 25, no munícipio de Umbaúba, em Sergipe. Segundo a PF, “para agilizar o procedimento preparatório da ação penal, quatro peritos federais foram solicitados ao Instituto Nacional de Criminalística da Diretoria Técnica Científica” para a realização dos exames periciais. O posicionamento veio após a Organização das Nações Unidas (ONU) cobrar uma investigação minuciosa sobre a morte que causou perplexidade em milhares de brasileiros.

“Por lei, a Autoridade Policial que preside o inquérito tem 30 dias, a partir da data da instauração, para a conclusão das investigações. Após o decurso desse prazo, o procedimento será encaminhado ao Ministério Público Federal”, informou a Polícia Federal. “Dentre as medidas em curso, estão: a perícia no local do ocorrido, a perícia na viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a identificação de testemunhas e a coleta de material probatório.”

A PRF, por sua vez, disse que os procedimentos adotados na abordagem não compactuam com as medidas adotadas pela corporação e que não corrobora com “qualquer afronta aos direitos humanos”. “Assistimos com indignação aos fatos ocorridos em Umbaúba envolvendo policiais rodoviários federais que resultou na morte do senhor Genivaldo de Jesus Santos. Os procedimentos vistos durante a ação não estão de acordo com as diretrizes em cursos e manuais da nossa instituição”, afirmou o coordenador- geral de comunicação institucional da PRF, Marco Territo. “Já estamos estudando os nossos procedimentos de formação de aperfeiçoamento e operacionais para ajustar o que for necessário para prestar um serviço de excelência”.

O escritório de Direitos Humanos da ONU para a América do Sul emitiu um comunicado no qual cobra uma “investigação célere e completa” sobre a morte de Genivaldo. O homem de 38 anos morreu depois de ser colocado por agentes da PRF dentro de uma viatura de onde saía muita fumaça. O Instituto Médico Legal de Sergipe identificou de forma preliminar a causa da morte como asfixia.

O chefe da regional da ONU, Jan Jarab, afirmou em nota no site da entidade que é fundamental que as investigações cumpram com as normas internacionais de direitos humanos e que os responsáveis sejam levados à justiça, garantindo reparação aos familiares da vítima. Para Jarab, a morte de Genivaldo “mais uma vez coloca em questão o respeito aos direitos humanos na atuação das polícias no Brasil”.

A Comissão de Direitos Humanos do Senado deve votar, nos próximos dias, o envio de um grupo de senadores para acompanhar, em Aracaju e Umbaúba, as medidas adotadas pelas autoridades após a morte de Genivaldo. Os policiais envolvidos no crime foram afastados pela PRF.

Com informações de Agência Brasil.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)