Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após chacina, polícia ocupa favela na Baixada Fluminense

No último final de semana, seis adolescentes foram assassinados na região

Cerca de cem policiais militares do Choque e do Batalhão de Operações Especiais (Bope), além de fuzileiros navais, ocuparam a Favela da Chatuba, localizada nos municípios de Nilópolis e Mesquita, na Baixada Fluminense, em uma ação rápida na madrugada desta terça-feira. A operação contou com o auxílio de quatro blindados da Marinha.

Segundo informações da rádio CBN, não houve registro de confrontos no início da ocupação, porém, no final da madrugada, alguns tiros foram ouvidos. Um criminoso foi preso durante a ação. A pedido da PM, as escolas localizadas na região devem ter as aulas suspensas nesta manhã, como garantia de segurança das crianças.

Leia também: Adolescentes foram mortos por traficantes, diz polícia

Chacina – Por enquanto por tempo indeterminado, a intervenção policial na comunidade é consequência das oito mortes ocorridas na região no último final de semana. A Polícia Civil acredita que a chacina des seis jovens em Mesquita, na Baixada Fluminense, foi cometida como uma “demonstração de força” de traficantes que atuam na Favela da Chatuba, próxima ao Parque de Gericinó. As vítimas não teriam envolvimento com o tráfico de drogas.

Os corpos dos seis adolescentes foram encontrados na manhã de segunda-feira em um canteiro de obras da duplicação da Rodovia Presidente Dutra. Os jovens estavam desaparecidos desde sábado, quando saíram de casa para tomar um banho de cachoeira no parque. No mesmo dia e na mesma área, foram encontrados mais dois corpos: o de um pastor e o de um cadete da polícia militar – que pode ter sido torturado. Outro adolescente, que ainda está desaparecido, teria sido visto pela última vez também nas redondezas do Parque de Gericinó.

As autoridades afirmam que muitos dos criminosos que atuavam nos complexos do Alemão e da Penha, com a atuação da PM, migraram para esta região da Baixada.

(Com agência Estado)