Após 9 dias, greve dos caminhoneiros enfraquece e abastecimento é retomado

Pontos de concentração de caminhões ainda são numerosos, mas veículos estão parados nos acostamentos; combustível começa a chegar a postos nas capitais

Por Redação - Atualizado em 30 maio 2018, 07h57 - Publicado em 29 maio 2018, 07h03

Depois de nove dias, a greve dos caminhoneiros, iniciada na segunda-feira (21), finalmente parece estar se encaminhando para seu fim. O nono dia foi marcado pelo enfraquecimento do movimento: apesar do último relatório da Polícia Rodoviária Federal ainda contabilizar 616 pontos de concentração de caminhoneiros nas estradas, todos se encontram parados nos acostamentos ou nos pátios de combustíveis à espera de uma escolta policial. O abastecimento das cidades também está se normalizando aos poucos, com a chegada de caminhões de combustível às capitais.

Durante a tarde, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) divulgou uma nota em que afirma que a greve dos caminhoneiros foi “extraordinária”, mas que o movimento começa a sofrer um desgaste desnecessário. O documento aponta que a pauta de reivindicações – entre os itens a redução do preço do diesel e uma nova política de preços para os fretes – foi plenamente atendida pelo governo.

Ao vivo: após 10 dias de greve, aos poucos país volta ao normal

Outro movimento que poderia complicar ainda mais a situação de abastecimento, a greve dos petroleiros, marcada para esta quarta-feira, foi declarada ilegal pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). O tribunal estipulou multa diária de 500.000 reais, em caso de descumprimento.

Publicidade

Confira como foi o nono dia da greve dos caminhoneiros:


21:27 – Caminhões com combustível poderão circular em horário integral por SP

A prefeitura de São Paulo autoriza, a partir desta quarta-feira e pelo período de 60 dias, a circulação de caminhões, com até três eixos traseiros, com combustíveis e derivados, em horário integral na capital paulista.

A publicação da portaria 062/18 pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes será publicada no Diário Oficial da cidade nesta quarta, informou a prefeitura. Pelas regras, os veículos transportando esse tipo de carga poderão circular, em qualquer horário, nas marginais Tietê e Pinheiros, nas vias que compõem o Minianel Viário, no Centro Expandido e na Zona Máxima de Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC).

Pelas regras atuais, esses veículos estão proibidos de circular das 5 às 10 horas e das 16 às 21 horas, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, no Minianel Viário e no Centro Expandido.

Publicidade

De acordo com a prefeitura, a medida, que atende a um pleito dos caminhoneiros, tem o objetivo de garantir a normalização do abastecimento de combustível na cidade de São Paulo.

(Agência Brasil)


21:01 – TST declara ilegalidade da greve dos petroleiros e impõe multa diária

A Advocacia-Geral da União (AGU) informou que o Tribunal Superior do Trabalho (TST) considerou ilegal a greve dos petroleiros, marcada para a zero hora desta quarta-feira, 30. O tribunal estipulou multa diária de 500.000 reais, em caso de descumprimento.

Publicidade

Leia mais aqui.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

20:55 – Temer: ‘Entre hoje e amanhã estaremos com isso já normalizado’

O presidente Michel Temer afirmou, em entrevista à TV Brasil nesta terça-feira, que o governo “fez o possível” diante da paralisação dos caminhoneiros e não tem mais o que oferecer. Temer deu a declaração pela manhã, durante o Fórum de Investimento Brasil 2018, em São Paulo, porém a entrevista só foi transmitida à noite. “Nós esprememos todos os recursos governamentais para atender os caminhoneiros em reivindicações legítimas e para não prejudicar a Petrobras”, disse o presidente.

Publicidade

Ele afirmou ainda que não tem mais como negociar a esta altura com as entidades dos caminhoneiros. “Evidentemente, percebo que os líderes dos movimentos estão dizendo para voltar ao trabalho e isso está começando a dar resultado. Tenho a impressão que entre hoje (terça) e amanhã (quarta) estaremos com isso já normalizado.”

Apesar do acordo feito pelo governo, caminhoneiros continuam bloqueando trechos de estradas em todo o país. Além disso, foram identificadas manifestações alheias à esta categoria, com os chamados “infiltrados”, que já provocaram confrontos entre manifestantes e policiais em pelo menos quatro pontos do País, sendo que o mais grave foi em Bacabeira, no Maranhão, que levou à prisão de sete pessoas.

Em novo balanço apresentado no início da noite desta terça-feira, o chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas, Ademir Sobrinho, informou que naquele momento existiam três bloqueios totais de estradas na BR-070, saída do Distrito Federal para Goiás, em Minas Gerais e no Ceará e assegurou que “nenhum deles é feito por caminhoneiros”. O almirante disse ainda que o número de “interrupções” detectadas, que na segunda-feira eram 594, hoje estavam em 616.

Temer declarou que o retorno do abastecimento no país é o mais importante neste momento e que, se preciso, o governo vai “exercitar a autoridade prevista no texto constitucional”. “Acredito que não haverá necessidade de usar autoridade porque movimentos estão se desmobilizando”, avaliou.

Publicidade

O presidente da República lembrou que há mais de 47 inquéritos abertos pela Polícia Federal (PF) par investigar supostos crimes relacionados à greve e que a aplicação de multas, em conjunto, já é uma forma do governo exercer sua autoridade. “Por aí já vai dar certo o uso da autoridade”, afirmou.

Questionado sobre a alta dos juros, mesmo com a Selic mais baixa, Temer respondeu que “pouco a pouco o Banco Central vai forçando essa queda de juros e ela vai se verificando”. “Reduzir juros no sistema bancário, acompanhando a taxa Selic, é fundamental.”

(Estadão Conteúdo)

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

20:52 – 16 toneladas de medicamentos serão levadas pela FAB ao Nordeste

Dois aviões da Força Aérea Brasileira decolaram de Brasília rumo à cidade pernambucana de Caruaru levando a bordo 16 toneladas de materiais usados em hemodiálise. Os produtos, que serão distribuídos em cidades do Nordeste, foram recolhidos de caminhões que tentavam, sem sucesso, fazer o transporte para a região. Um outro carregamento com material para hemodiálise deverá embarcar na tarde, desta vez, rumo ao aeroporto de Guarulhos. A medida faz parte da estratégia de emergência que começou a ser alinhavada ontem pelo Ministério da Saúde.

Além de aviões da FAB, companhias aéreas embarcaram em diferentes voos uma série de medicamentos comprados pelo Ministério da Saúde para distribuir aos Estados. Esses medicamentos já deveriam estar nos armazéns locais mas, por causa da greve, ainda permaneciam em Brasília. A estimativa era de que os estoques locais dos medicamentos seriam suficientes para apenas dois dias.

Os carregamentos começaram a ser enviados pelas companhias aéreas ontem e, juntos, somam cerca de 2 toneladas. Na lista, estão 10 remédios. Indicados para tratamento de câncer, para pacientes submetidos a transplantes, para controle de doenças raras, artrite reumatoide e hepatite. Os medicamentos serão encaminhados para SP, RJ, PE, ES, BA, MT, MS, PR, SC e PA.

Publicidade

O uso da Força Aérea Brasileira será feita apenas em casos de emergência. A estratégia para tentar reduzir o impacto da greve prevê também o uso de comboios escoltados pela Polícia Rodoviária Federal e pelo Exército, no caso de medicamentos que têm de fazer transporte entre dois Estados.

(Estadão Conteúdo)

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

20:28 – Consumidora encontra tomate por R$ 10 o quilo e se revolta: ‘Absurdo’

Publicidade

A greve dos caminhoneiros está provocando o desabastecimento de supermercados, feiras e sacolões. Itens perecíveis são os mais difíceis de encontrar. Quando localizados, o consumidor toma um susto com os preços. A aposentada Ivanura da Silva, 75, se assustou com os preços ao ir a uma feira. “É um absurdo. O quilo do tomate estava a 10 reais, cada limão estava a quase 1 real. O ovo também estava mais caro. Subiu tudo”, disse a VEJA.

Leia mais aqui.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

20:26 – SP terá 70% da frota de ônibus na quarta; rodízio de carros está suspenso

A Prefeitura de São Paulo informou que entre 60% e 70% da frota de ônibus da capital deve operar nesta quarta-feira por causa da greve dos caminhoneiros, que entrou no seu nono dia hoje e provocou desabastecimento de combustíveis e outros produtos em todo o país. As linhas de trólebus da cidade devem operar com a frota máxima, assim como as vans do serviço Atende +.

Leia mais aqui.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

20:02 – Ao menos oito aeroportos estão sem combustível

A Infraero, que administra 54 aeroportos no Brasil, informou que até as 19h desta terça-feira oito deles estavam sem combustível: São José dos Campos (SP), Uberlândia (MG), Campina Grande (PB), Juazeiro do Norte (CE), Palmas (TO), Imperatriz (MA), Londrina (PR) e João Pessoa (PB).

A Infraero informou ainda que os aeroportos estão abertos e têm condições de receber pousos e decolagens. Nos terminais em que o abastecimento está indisponível, as aeronaves que chegarem só poderão decolar se tiverem combustível suficiente para a próxima etapa do voo.

(Com Agência Brasil)

Publicidade

Avião é abastecido no Aeroporto Internacional de Brasília (DF), durante o quinto dia da greve dos caminhoneiros - 25/05/2018

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

19:59 – Senado aprova projeto que zera o PIS/Cofins sobre o óleo diesel

O Senado aprovou na noite desta terça-feira, 29, o projeto de lei 52/2018, que zera até o final do ano a cobrança de PIS/Cofins sobre o óleo diesel.

Leia mais aqui.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

19:56 – Cargas rodoviárias para Porto de Santos seguem bloqueadas

O fluxo de caminhões para o Porto de Santos permanece nulo com a continuidade da greve dos caminhoneiros, disse, em nota, a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp). Não foram registrados congestionamentos nem incidentes nas vias portuárias, segundo o comunicado. “Os trabalhadores portuários comparecem normalmente aos seus postos de trabalho e as operações de carga e descarga de navios continuam a ser realizadas”, disse a Codesp.

(Estadão Conteúdo)

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

19:38 – PRF autua 176 caminhões que descumpriam decisão do STF nas estradas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou no final da tarde desta terça-feira que autuou 176 caminhões que descumpriam, segundo a corporação, a decisão do Supremo Tribunal Federal de permitir a livre circulação das carretas pelas rodovias do país.

Ainda existem 616 pontos de concentração de caminhoneiros nas estradas, todos eles parados nos acostamentos ou nos pátios de combustíveis à espera de uma escolta policial. ”Estamos convencendo os motoristas que têm receio de seguir viagem que lhes daremos segurança”, afirmou o chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho.

Publicidade

Leia mais aqui.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

19:36 – Aeroporto de Brasília recebe 19 caminhões de combustível

O Aeroporto de Brasília afirmou nesta terça-feira que recebeu dezenove caminhões com combustível, totalizando cerca de 1 milhão de litros de querosene de aviação. Com o carregamento, os reservatórios estão se normalizando e o consórcio Inframerica afirma que as operações ocorrem com menores impactos.

Publicidade

Geralmente, o aeroporto recebe vinte caminhões com combustível diariamente, mas, por causa da greve, recebeu apenas 84 nos últimos oito dias. Apesar disso, somente 9,6% dos voos foram cancelados desde sexta-feira (25), quando o desabastecimento pôde ser observado.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

19:17 – Animais praticam canibalismo em granjas por falta de ração

Com a greve dos caminhoneiros e, consequentemente, a crise de desabastecimento no país, a falta de rações nas granjas tem levado animais a praticar canibalismo. Vídeos circulando nas redes sociais esta semana mostram aves bicando umas às outras para conseguir se alimentar.

Leia mais aqui.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

19:14 – Setor exportador de carne bovina deixa de faturar US$ 170 milhões

O setor exportador de carne bovina contabiliza prejuízos de 170 milhões de dólares em uma semana por causa da paralisação dos caminhoneiros. Conforme o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Antônio Jorge Camardelli, semanalmente o setor embarca ao exterior 40.000 toneladas de carne bovina, volume que não tem chegado aos portos desde a terça-feira da semana passada – o movimento foi deflagrado na segunda-feira, dia 21. Camardelli participou nesta tarde de reunião com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, para discutir as consequências da greve para o setor de proteína animal, durante o Fórum de Investimentos Brasil 2018, em São Paulo. Participou também do encontro o vice-presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Rui Vargas.

Publicidade

Camardelli alertou para os riscos de o Brasil ser substituído, como país exportador de carne bovina, por algum concorrente no mercado externo. Também contou que missões para habilitar frigoríficos no País começam a ser canceladas. “O Chile vinha segunda-feira (4) e já cancelou”, informou. “Estamos com 120 frigoríficos associados paralisados, sem abates. Sem abates, não é possível haver auditoria para exportação”, lamentou Camardelli. Segundo ele, 1.400 caminhões estão parados nos bloqueios, com produtos perecíveis.

Em relação ao mercado interno, o dirigente da Abiec alertou que uma das consequências da greve dos caminhoneiros para a população é o aumento de preços das carnes em geral. “Teremos que aumentar preço para compensar o estrago feito, tanto no mercado interno quanto no externo”, afirmou. Para minimizar o efeito da falta de transporte na atividade do setor, disse ser necessário mais crédito. “O governo disse que vai dar suporte”, confirmou. “Sem crédito, teremos um problema a mais, que pode se refletir em mais inflação.”

O representante da cadeia exportadora de carne bovina assinalou que se o problema não se resolver até esta quinta-feira o ciclo exportador da proteína também será quebrado, a exemplo do que disse o ministro Blairo Maggi sobre a cadeia de aves e suínos. “Tenho contratos de produção, um contrato em carteira e um navio no mar. Sem transporte, toda essa sequência fica quebrada”, disse. “Não recebo mais contêiner vazio que vem do porto e, por consequência, eu perco navios que poderiam embarcar a carne.” Camardelli disse esperar que a partir de agora o governo tome medidas mais firmes para romper os bloqueios e atitudes “mais enérgicas” para resolver o problema “o quanto antes”.

(Estadão Conteúdo)

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

19:04 – Metade dos postos de Curitiba já tem combustível novamente

A chegada de dezenas de caminhões-tanque a Curitiba já garantia, na tarde desta terça-feira, o abastecimento de metade dos postos da capital paranaense. De acordo com o Sindicombustíveis-PR, entidade que representa os postos de combustível do Paraná, 176 dos 340 postos de Curitiba estavam operando por volta do meio-dia. “Deste modo, gradualmente, o abastecimento vem sendo restabelecido. Por isso reforçamos o apelo para a população ter calma. Neste ritmo, em breve o abastecimento poderá ser regularizado nos próximos dias”, diz a entidade, em nota.

Leia mais aqui.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

19:02 – PM libera bloqueios do sistema Anchieta-Imigrantes na Grande São Paulo

Uma ação policial liberou ambas pistas da rodovia Anchieta e a pista sul da rodovia Imigrantes na noite desta terça-feira (29), informou a Ecovias, que é responsável pela administração dos trechos.

Segundo a empresa, após a liberação dos quilômetros 23 e 25 da Anchieta, na região de São Bernardo do Campo, não há mais pontos de manifestação no sistema Anchieta-Imigrantes, com exceção dos acessos ao Porto de Santos, que continuam bloqueados.

Publicidade

A companhia informa que o trecho permanece inacessível tanto pela margem esquerda, no quilômetro cinco da pista leste da rodovia Cônego Domênico Rangoni, em Guarujá, quanto pela margem direita, no quilômetro 64 da pista sul da rodovia Anchieta, em Santos. As manifestações que impedem o tráfego na região estão fora do trecho de concessão da Ecovias, diz a empresa.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

19:00 – Ao menos sete aeroportos estão sem combustível

A Infraero, que administra 54 aeroportos no Brasil, informou que até as 17h05 desta terça-feira sete deles estavam sem combustível: São José dos Campos (SP), Uberlândia (MG), Campina Grande (PB), Juazeiro do Norte (CE), Palmas (TO), Imperatriz (MA) e Londrina (PR).

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

18:44 – Comércio varejista perdeu R$ 3,1 bilhões com a greve 

Publicidade

Por causa das paralisações nas estradas promovidas por caminhoneiros, o comércio varejista perdeu 3,1 bilhões de reais em apenas seis unidades da Federação, conforme cálculos da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Por causa das paralisações, a entidade revisou sua projeção de crescimento nas vendas do varejo em 2018, de 5,4% para 4,7%.

Em estudo divulgado nesta terça-feira, a entidade calcula que, até a segunda-feira, dia 28, houve perda de 1,42 bilhão de reais nas vendas de combustíveis e lubrificantes. Mais 1,73 bilhão de reais foi perdido por causa da escassez de combustíveis que restringiu a oferta de produtos hortifrutigranjeiros no ramo de hiper, supermercados e minimercados.

A CNC levantou dados em São Paulo, Minas Gerais, Rio, Paraná, Bahia e no Distrito Federal. Segundo a entidade, essas unidades da Federação respondem por 56% da receita dos segmentos de combustíveis e lubrificantes e de hiper e supermercados, em nível nacional. Juntos, os ramos de combustíveis e lubrificantes e de hiper e supermercados respondem por 47% do volume anual de vendas do varejo brasileiro, informou a CNC.

A entidade lembrou, em nota, que os dois segmentos são os mais relevantes do varejo. “Diante de perdas intensas percebidas pelos dois mais relevantes ramos do varejo, a CNC revisou sua expectativa do volume de vendas do varejo em 2018 de +5,4% para +4,7%.”

Publicidade

O estudo da CNC desagregou as perdas calculadas em 3,1 bilhões de reais por Estado da seguinte forma: 1,6 bilhão de reais em São Paulo, 418,4 milhões de reais em Minas Gerais, 374,1 milhões de reais no Rio de Janeiro, 328,3 milhões de reais no Paraná, 355,4 milhões de reais na Bahia e 92,5 milhões de reais no Distrito Federal.

(Estadão Conteúdo)

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

18:20 – Greve faz tráfico tomar controle de cinco estações do BRT no Rio

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

17:58 – Cade autoriza cooperação entre distribuidoras de combustíveis

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) autorizou nesta terça-feira a cooperação logística entre Raízen Combustíveis, Petrobras Distribuidora e Ipiranga Produtos de Petróleo, denominada “Protocolo de Crise de Abastecimento”, para otimizar o armazenamento, transporte e distribuição de combustíveis com o objetivo de regularizar o abastecimento após a greve. A cooperação deve durar no máximo 15 dias e pode ser reduzida caso a situação se normalize antes.

Publicidade

O protocolo autoriza as empresas a criar centros integrados de operação logística para organizar o estoque, a demanda de autoridades e frotas. Elas poderão, ainda, ordenar a prioridade de abastecimento, levando em conta que os serviços públicos essenciais ao bem-estar social, à saúde e à segurança da população terão prioridade. As empresas poderão dividir entre si e em partes iguais os custos da operação.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

17:35 – Intervenção militar não é varinha mágica, diz general Mourão

O general Hamilton Mourão, na reserva desde fevereiro deste ano, disse na manhã desta terça-feira, em Porto Alegre, que é contra a intervenção militar desejada por parte dos caminhoneiros que estão em greve desde a semana passada. Em entrevista exclusiva a VEJA, Mourão disse que intervenção militar não é “solução imediata” e que não é “varinha de condão” que faz “plim, plim” e “está tudo resolvido”. “O país não tem que ser tutelado pelas Forças Armadas”, afirmou.

Publicidade

Leia mais aqui.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

General Mourão


17:29 – Do Radar:

Publicidade

Por causa da greve, preço do frango pode saltar 35%

O prejuízo causado pela greve dos caminhoneiros deverá acelerar a inflação. Com a produção estrangulada pelos piquetes, o preço do frango pode subir mais de 35% devido à paralisação. A estimativa é de Ricardo Santino, vice-presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

17:27 – Novo golpe do WhatsApp promete lista de postos com gasolina

Publicidade

A greve dos caminhoneiros provocou o desabastecimento dos postos de gasolina em todo o país. A necessidade de descobrir quais são os postos que possuem combustível está alimentando um novo golpe de WhatsApp.

Leia mais aqui.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

17:24 – Líder grevista pede fim das paralisações para preservar os caminhoneiros

Publicidade

A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) divulgou nota na tarde desta segunda-feira, 29, onde afirma que a greve dos caminhoneiros foi “extraordinária”, mas que o movimento, entrando no seu 9º dia de paralisação, começa a sofrer um desgaste desnecessário.

Leia mais aqui.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

17:17 – Em São Paulo, 66% da frota de ônibus está em operação

Publicidade

A SPTrans anunciou em seu perfil no Twitter que 66% da frota de ônibus estava em operação às 17 horas.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

16:54 – Motoristas contabilizaram 1.000 postos sem gasolina ao Waze

O aplicativo Waze agregou um novo recurso que permite que os motoristas informem se um posto tem ou não gasolina. O aplicativo informou que existem neste momento cerca de 1.000 postos sem combustível em todo o Brasil. As informações são passadas pelos próprios usuários do serviço.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

16h40 – Em SP, 68% da frota de ônibus está em operação

A SPTrans afirmou no Twitter que, às 16h30, a capital paulista tem 68% da frota programada para o horário em operação.


 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

15:51 – Com greve, vendas do varejo registram uma queda de 38%

A paralisação derrubou em 38% as vendas do varejo em todo o país no último fim de semana. A análise, realizada pela Lynx, empresa de software de gestão para o varejo, se baseou na emissão da nota fiscal eletrônica (NFC-e) dos segmentos de postos de combustíveis, setor automotivo, food service e shopping centers.

Publicidade

O pior resultado para o varejo, entre os setores analisados, foi para o comércio no estado da Bahia, onde as vendas diminuíram 42% no sábado e domingo, em comparação com o fim de semana anterior.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

15:38 – Trem com combustível descarrila e polícia investiga sabotagem em Bauru

Um trem que carregava dez vagões com 650.000 litros de diesel descarrilou na manhã desta terça-feira, em Bauru, no interior de São Paulo. Os vagões-tanques não chegaram a tombar e não houve vazamento de combustível, mas a Polícia Civil investiga uma possível sabotagem, pois há suspeita de que as talas de ferro que unem as cargas estivessem desparafusadas. 

Publicidade

O óleo diesel havia sido carregado na Refinaria de Paulínia, na região de Campinas, e se destinava às três empresas que abastecem os postos de Bauru e de cidades da região. Funcionários teriam encontrado parafusos soltos nos trilhos, o que caracterizaria sabotagem. A concessionária da ferrovia não confirmou essa informação, mas a Polícia Civil vai investigar o caso.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

15:20 – AGU e Petrobras entram com liminar para impedir greve dos petroleiros

A Advocacia-Geral da União (AGU) e a Petrobras apresentaram nesta terça-feira, ao Tribunal Superior do Trabalho (TST) uma ação com pedido de liminar para evitar a greve dos petroleiros, prevista para a quarta-feira. A ação pede a nulidade da greve e que seja reconhecido seu caráter “abusivo”, diante da crise de abastecimento que já recai sobre a sociedade por causa da paralisação dos caminhoneiros.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

15:10 – Ao menos nove aeroportos estão sem combustível, diz Infraero

Ao menos nove aeroportos estão sem combustíveis para reabastecer os aviões nesta terça-feira, informou a Infraero, agência do governo responsável por administrar os principais aeroportos do país. Em comunicado, a organização indica que 57 voos foram cancelados e outros 80 estão atrasados até as 13h de hoje.

Entre os aeroportos afetados estão os de São José dos Campos (SP), Uberlândia (MG), Campina Grande (PB), Juazeiro do Norte (CE), Aracaju (SE), Foz do Iguaçu (PR), Palmas (TO), Imperatriz (MA) e Londrina (PR).

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

15:05 – Governo aguardará reoneração para definir compensação do diesel

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse nesta terça-feira que o governo vai esperar a aprovação da reoneração da folha de pagamento para definir de onde sairão os recursos para compensar o desconto no diesel, mas garantiu que a compensação não virá de aumento de impostos, mas do fim de isenções tributárias. O governo ofereceu um desconto de 0,46 centavos no preço do diesel por 60 dias para que os caminhoneiros encerrem a greve.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

15:04 – Acaba a gasolina no Campo de Marte

A gasolina para abastecer os helicópteros e aviões do Campo de Marte acabou no fim da tarde de segunda-feira. De acordo com a Associação Brasileira de Táxi Aéreo (Abtaer), as três distribuidoras de combustível do aeroporto — Petrobras, Shell e Airbt  informaram que não há previsão para regularizar o abastecimento.

Segundo a Abtaer, 40% das aeronaves no Campo de Marte são abastecidas com gasolina de aviação e 60% com querosene de aviação. A querosene ainda está disponível, sem previsão de acabar.

Com a paralisação dos caminhoneiros e bloqueio das estradas pelos caminhões, a procura por transporte de carga com táxi aéreo no Campo de Marte apresentou uma elevação de 1000% entre quarta e sexta-feira da semana passada.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

14:57 – Sem comida, quase 70 milhões de aves morrem por causa da greve

Os bloqueios que impedem a circulação de caminhões com rações, insumos para a produção da alimentação animal e outros produtos já deixaram quase 70 milhões de aves mortas, segundo estimativas da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Outras 120.000 toneladas de carne de frango e carne suína deixaram de ser exportadas desde o início da greve.

Segundo levantamento feito pela entidade, os caminhões que transportam milho, soja e outros produtos para manter os animais são impedidos de circular em mais de 300 pontos de 22 estados em todo o país. Além dos bloqueios, de acordo com a associação, há relatos de ameaças a motoristas que querem deixar a paralisação.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

14:56 – Greve reduzirá exportações de veículos em 10 mil a 20 mil unidades em maio

A paralisação dos caminhoneiros deve causar uma queda nas exportações brasileiras de veículos da ordem de 10 mil a 20 mil unidades em maio e comprometer a meta de exportação de 800 mil veículos este ano, afirmou o presidente da Anfavea, Antonio Megale.

Segundo Megale, da associação que representa as montadoras de veículos instaladas no país, os números de produção e vendas de modelos novos serão “inevitavelmente impactados pela greve dos caminhoneiros” em maio.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

14:31 – Cegonheiros aguardam liberação de estradas e de abastecimento

Os cegonheiros, motoristas que dirigem caminhões destinados ao transporte de veículos, as chamadas cegonhas, reafirmaram nesta terça-feira, em nota do sindicato da categoria, que vão voltar ao trabalho depois que as estradas forem liberadas e o abastecimento de diesel estiver normalizado.

O Sinaceg, sigla para Sindicato Nacional dos Cegonheiros, reiterou que não tem conhecimento da participação de seus associados em piquetes ou obstruções de estradas durante a greve dos caminhoneiros.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

14:05 – A comida chegou

Abastecimento começa a ser retomado no Ceasa do Rio de Janeiro – 29/05/2018

Abastecimento começa a ser retomado no Ceasa do Rio de Janeiro – 29/05/2018 Tânia Rêgo/Agência Brasil

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

14:02 – Abastecimento ainda é lento, admite governo

Publicidade

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha disse que o retorno do abastecimento ainda está aquém do desejado. “Ainda temos muito o que andar para falar em normalidade. Estamos retomando progressivamente, mas ainda está longe do que necessitamos.”

Segundo ele, comboios das forças federais estão escoltando medicamentes, ração, combustíveis. “Procuramos chegar rumo ao que seja uma normalização.”

“Só a Receita Federal já escoltou o transporte de 18 milhões de litros de combustível em todo o pais”, afirmou Etchegoyen.

Publicidade

13:45 – Greve atinge direitos fundamentais, diz Raquel Dodge

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou nesta terça-feira que a paralisação de caminhoneiros não provoca somente uma crise de abastecimento, mas “já atinge direitos fundamentais no país”. Em greve desde segunda-feira passada, os caminhoneiros entraram em greve contra o preço do diesel, mas agora incluíram uma pauta política na lista de reivindicações.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

13:32 – PRF prendeu sete por obstrução de rodovia – nenhum deles era caminhoneiro

Publicidade

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, disse hoje que as forças federais prenderam sete manifestantes que estavam obstruindo as rodovias do país. Desde ontem, o governo federal tem atribuído a pessoas infiltradas entre os caminhoneiros a dificuldade para encerrar a greve, que entrou no nono dia nesta terça-feira.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

13:28 – Sim, temos gasolina, mas nem pense em encher o tanque

Publicidade

Um posto entre as ruas Nazaré Paulista e Livi, na Vila Madalena, Zona Oeste de São Paulo, recebeu combustível nesta terça-feira, mas não o suficiente para atender às dezenas e dezenas de carros que fizeram fila pela região. Para aumentar o número de clientes atendidos, a solução do posto de gasolina foi limitar em 100 reais o máximo de combustível que cada motorista pode comprar.

Diversos postos do estado receberam combustível hoje, mas, segundo o Sindicato de Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de São Paulo (Sincopetro), situação só será normalizada 10 dias após a greve, que, oficialmente, ainda não acabou.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

13:04 – Está faltando sangue nos hospitais do país

Publicidade

O presidente do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde, Leonardo Vilela, afirmou que bancos de sangue de diversos Estados estão com estoques reduzidos, o que põe em risco o atendimento a pacientes. “Com as dificuldades nos transportes, doadores não conseguem chegar aos postos de coleta”, afirmou. Vilela disse que um transplante chegou a ser desmarcado justamente pela falta de bolsas de sangue.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

12:55 – Postos precisarão de 10 dias para voltar ao normal após fim da greve

O presidente do Sindicato de Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), José Alberto Gouveia, afirmou nesta terça-feira, 29, que alguns postos de São Paulo começaram a receber combustível. Segundo ele, as entregas do combustível de ‘boa qualidade’ foram feitas durante a madrugada sob escolta policial.

Publicidade

“Nos primeiros três dias ainda se formarão longas filas, mas aos poucos a população vai se tranquilizar e ver que não terá mais a necessidade de correr para abastecer o veículo. Os postos devem levar sete dias para recuperar os estoques”, disse Gouveia.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

12:48 – Segundo os últimos dados da PRF, ainda há muita estrada interditada pelo país

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

12:43 – É o que temos para hoje

E, acredite, não era o fim da feira: em São Caetano do Sul, assim como em vários pontos do país, faltavam quase todos os alimentos nas barracas de frutas e verduras nesta terça-feira

E, acredite, não era o fim da feira: em São Caetano do Sul, assim como em vários pontos do país, faltavam quase todos os alimentos nas barracas de frutas e verduras nesta terça-feira Danilo M Yoshioka/Futura Press/Folhapress

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

12:37 – Veja como está o abastecimento nos aeroportos do país  

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


12:25 – Por que a greve dos caminhoneiros ainda não acabou

Publicidade

O governo federal diz que já chegou ao limite das negociações com os caminhoneiros e que atendeu às principais reivindicações da categoria. Uma delas é a promessa de queda de 0,46 centavos no preço do diesel por 60 dias. Líderes dos caminhoneiros dizem que a questão agora não tem mais relação com a categoria. Eles culpam os ‘intervencionistas’ pela continuidade da greve da categoria, que entrou no nono dia de paralisação nesta terça-feira.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


12:19 – Não há risco de intervenção militar, diz Temer

Publicidade

O presidente Michel Temer comentou a um grupo de jornalistas estrangeiros nesta terça-feira o pedido de alguns caminhoneiros, que pedem um golpe militar para derrubar seu governo. Segundo ele, não há esse risco.

Temer afirmou ainda que o governo poderá ingressar com ação junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que seja declarada ilegal a greve convocada pelos petroleiros para esta quarta-feira.

Sobre o assunto, leia também o blog Me Engana que Eu Posto: Constituição não prevê intervenção militar após 7 dias e 6 horas de greve

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


12:11 – Todos sabem onde estão os líderes da greve: no WhatsApp

Caminhoneiros bloqueiam a rodovia BR-040, na altura da cidade de Duque de Caxias (RJ) - 24/05/2018

Em mais de 20 anos de liderança, o presidente da União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam), José Araújo Silva, o China, diz que nunca viveu situação semelhante e não faz ideia de como o governo vai resolver a greve. “Virou uma situação sem controle”, diz ele. Nos 15 pontos de paralisação sob a bandeira da entidade, nenhum encerrou os protestos,

Publicidade

Para ele, uma das marcas dessa greve é a ampla utilização do WhatsApp, que criou um “monte de líderes” no movimento. Ao contrário do que ocorria em paralisações passadas, desta vez a voz do sindicato e das entidades de classe tem sido questionada e abafada pela disseminação das opiniões no aplicativo.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


12:05 – Cade propõe posto sem frentista e outras medidas

Publicidade

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) divulgou nesta terça-feira um conjunto de nove medidas para o setor de combustíveis. As propostas foram publicadas em meio à greve dos caminhoneiros, que entrou no nono dia e causa desabastecimento geral da população.

Uma das propostas é a criação de postos de autosserviço, sem frentistas, em que o próprio consumidor enche o tanque do carro. Nos Estados Unidos, já funciona assim. O Cade defende ainda que as distribuidoras possam importar combustíveis.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

11:55 – Conte como a greve dos caminhoneiros está afetando a sua vida. Você conseguiu abastecer, foi ao supermercado? Como está a situação na sua região?

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Veículos fazem fila para abastecer em posto de combustível no Rio de Janeiro (RJ), durante o oitavo dia da grave dos caminhoneiros - 28/05/2018

11:46 – Gasolina chega aos postos do Rio, mas duram só três horas

Os postos do Rio de Janeiro começaram a receber combustível nesta madrugada, mas em quantidade insuficiente para atender a demanda de veículos. Segundo um levantamento feito na manhã desta terça-feira pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência do Município do Rio de Janeiro (Sindcomb), de 30 revendedores consultados, 27 foram abastecidos.

Publicidade

O sindicato representa 400 dos 830 postos de combustível do Rio de Janeiro.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade



11:40 – Coluna Radar: Cade vota medida para ajudar a normalizar abastecimento

O Cade vai votar nesta tarde uma medida para ajudar a normalizar o abastecimento de combustível. Na prática, uma distribuidora poderá distribuir combustível de outra para qualquer posto. Sem essa medida, demoraria um mês para normalizar o abastecimento.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


11:36 – Outro recuo: agora, ministro diz que impostos não vão aumentar

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta terça-feira que “em nenhum momento” o governo trabalha com aumento de impostos para compensar a queda de preços do diesel, voltando atrás em relação ao que havia dito na véspera, quando citou a medida como uma solução para compensar as perdas fiscais. Uma das propostas do governo para encerrar a greve dos caminhoneiros é reduzir o preço do diesel em 0,46 centavos por 60 dias.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

11:30 – Transporte urbano em SP com mais de 70% das frotas

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


11:23 – Governador de SP anuncia retomada do abastecimento: “Em breve haverá gasolina para todos”

O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), afirmou na manhã desta terça-feira que três refinarias de petróleo do estado de São Paulo estão abertas. Segundo ele, haverá combustível nos postos com bandeira Ipiranga e Shell. “Com a retomada do abastecimento nos postos de São Paulo, em breve haverá gasolina para todos os veículos”, disse.

Segundo França, na sexta-feira havia cerca de 15 mil caminhoneiros parados nas estradas de São Paulo. “Hoje, há menos de 10% disso”, declarou.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

11:09 – Prateleiras vazias

A greve dos caminhoneiros afeta o abastecimento de diversos produtos em todos os estabelecimentos do país. No Sacolão São Jorge, na Vila Madalena, Zona Oeste da cidade de São Paulo, consumidores reclamaram da falta de carne, legumes, verduras e ovos. Segundo funcionários da unidade, o sacolão está recebendo um fluxo maior de pessoas porque elas têm receio de faltar produtos se adiarem as compras.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

10:43 – Procon-SP pede para a população não estocar produtos em casa

Em seu site oficial, o Procon-SP afirma que reforçou nesse período de greve dos caminhoneiros a fiscalização sobre postos de combustíveis para combater práticas abusivas e o comércio de combustíveis adulterados. E aproveitou a nota oficial para fazer alertas e recomendações, como a de pedir à população para evitar fazer estoque de alimentos em casa, pelo bem coletivo. Leia alguns trechos do comunicado:

Economia - Consumo - Inflação - produtos - Pib

Publicidade

“A greve dos caminhoneiros não elimina direitos dos consumidores, mas exige bom senso de todos. Importante lembrar que:

– o desabastecimento não é uma infração, especialmente no cenário atual;
– a limitação da venda de produtos por alguns estabelecimentos é aceitável quando o objetivo for atender o maior número de consumidores.
– No caso de cancelamento de shows, o consumidor tem direito de ser ressarcido, incluindo as taxas de conveniência.
– Nos casos de viagens aéreas canceladas ou atrasadas, o consumidor deverá ter seus direitos garantidos e as companhias deverão investir na comunicação e assistência para reduzir os inevitáveis prejuízos que o consumidor possa ter.

Recomendação

– Evite estocagem de alimentos. Isso contribui para o desabastecimento e aumento dos preços. Compre o essencial e necessário apenas.
– Jamais fazer estoque de combustível para não colocar a família e vizinhos em risco.
– Evite deslocamentos desnecessários até que a situação seja normalizada
– Procure informar-se antecipadamente sobre a normalidade das partidas em aeroportos e terminais rodoviários.”

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Publicidade

10:33 – Protestos param 107 frigoríficos no país

Praticamente todas as unidades produtoras de carne bovina do Brasil estão paradas em decorrência dos protestos de caminhoneiros, e 40 mil toneladas do produto deixaram de ser exportadas até agora, o equivalente a 170 milhões de dólares em receita que deixou de ser gerada, disse a associação da indústria nesta terça-feira.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

10:16 – Feiras livres compactas em São Paulo

Publicidade


10:06 – Da coluna Radar: Há um ano, Temer previu que teria apoio popular para aumentar combustível

Michel Temer calculou mal, muito mal os efeitos de uma política apoiada em reajustes diários do preço dos combustíveis e aumento de impostos. Há aproximadamente um ano, em julho de 2017, o presidente tentava explicar o recente aumento do PIS/Cofins. Pode parecer piada, mas, na ocasião, ele previa que o brasileiro iria ser condescendente com a medida.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

09:48 – Três movimentos “infiltrados” são identificados entre grevistas

O governo apura se três movimentos políticos – “Intervenção militar já”, “Fora Temer” e “Lula livre” – se infiltraram na paralisação dos caminhoneiros. Eles estariam alimentando os focos que ainda querem manter os bloqueios, mesmo após ter boa parte de suas reivindicações atendidas ou ao menos encaminhadas. Essa é uma leitura feita nas reuniões do gabinete de crise montado pelo Palácio do Planalto na semana passada.

Os caminhoneiros falam abertamente do problema. “Para esses que têm posição extremista, esse ou qualquer outro acordo não iria funcionar porque a intenção não é resolver problemas, mas criar o caos e a instabilidade”, disse o presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Ijuí, no Rio Grande do Sul, Carlos Alberto Litti. Para o líder gaúcho, o grupo mais resistente ao acordo é movido “por um tema político e não econômico”.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

09:42 – Conte como a greve dos caminhoneiros está afetando a sua vida. Você conseguiu abastecer, foi ao supermercado? Como está a situação na sua região?


09:19 – Fake news são combustível para a greve

“O Exército pode derrubar o governo constitucionalmente após sete dias e seis horas de greve.” “O Planalto determinou o bloqueio do WhatsApp para dificultar a comunicação dos caminhoneiros.” “Temer ordenou um apagão elétrico no país caso a paralisação não acabe.”

Publicidade

Essas e outras fake news  desmentidas no blog Me Engana que Eu Posto  circulam nos grupos de WhatsApp de caminhoneiros e são combustível para a parte do movimento que defende seguir com a greve para “mudar o país”.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

09:12 – Jungmann diz que país não pode ficar nas mãos de “empresários inescrupulosos”

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, chamou empresários do setor de distribuição de combustíveis de “inescrupulosos” em entrevista nesta terça-feira à rádio CBN, e disse que eles vão pagar pelo que afirma ser um locaute que está por trás da paralisação dos caminhoneiros que entrou no nono dia. Um locaute, que é proibido por lei, ocorre quando empresários impedem funcionários de trabalhar. “Você pode ter certeza de que a partir de hoje, nós vamos começar a encontrar esses infiltrados”, afirmou.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

09:03 – Mudanças no transporte público em São Paulo

09:00 – VEJA acompanha todas as notícias da greve dos caminhoneiros também no Facebook. Conte como a paralisação está afetando a sua vida. Você conseguiu abastecer, foi ao supermercado? Como está a situação na sua região?

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

08:45 – Preços dos combustíveis nas alturas

Postos de gasolina de vários pontos da cidade de São Paulo começaram a receber combustível na noite desta terça-feira. Os caminhões-tanque chegavam escoltados por carros da Polícia Militar, que permanecia nos postos. Em alguns estabelecimentos, preço da gasolina chegava a 5,10 reais.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

08:01 – Abastecimento em postos melhora, mas está longe do ideal

Posto de gasolina no Distrito Federal

Posto de gasolina no Distrito Federal Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O abastecimento de combustíveis apresentou melhoras pelo país com a redução do movimento de paralisação dos caminhoneiros, mas a situação ainda está longe do ideal e deve demorar pelo menos uma semana para voltar ao normal, disse nesta terça-feira o diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) Aurélio Amaral.

Ainda há locais onde a situação é considerada delicada. Uma grande preocupação das autoridades é com o Porto de Suape, um polo importante para a Região Nordeste. “Lá em Suape a situação ainda é crítica e continua ruim também em Minas, Rondônia, São Paulo, Roraima, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Sergipe”, acrescentou o diretor, que disse esperar uma melhora ao longo do dia.

Publicidade

07:56 – Nove aeroportos parados

Nove dos 54 aeroportos administrados pela Infraero estão sem combustível no início desta terça-feira como reflexo da greve dos caminhoneiros. São eles:

Foz do Iguaçu/PR
Paulo Afonso/BA
Teresina/PI
Palmas/TO
João Pessoa/PB
Ilhéus/BA
Cuiabá/MT
Imperatriz/MA
Petrolina/PE

A Infraero esclarece que os aeroportos estão abertos e têm condições de receber pousos e decolagens. Nos terminais em que o abastecimento está indisponível no momento, as aeronaves que chegarem só poderão decolar se tiverem combustível suficiente para a próxima etapa do voo.

07:45 – Alimento escoltado no Rio

Publicidade

Uma força-tarefa envolvendo militares, policiais rodoviários federais e policiais militares fizeram uma operação, na madrugada de hoje (29), para escoltar 300 caminhões com alimentos perecíveis. Os produtos saíram da região serrana fluminense para a cidade do Rio de Janeiro.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

6:40 – Radar – Flávio Rocha pega carona na greve para fazer campanha

Pré-candidato à Presidência da República pelo PRB, o empresário Flávio Rocha, dono da Riachuelo, tem usado a greve dos caminhoneiros para se promover nas redes sociais.

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade