Clique e assine a partir de 9,90/mês

Anvisa adia votação sobre plantio de maconha para fins medicinais

Segundo o órgão, sugestões feitas por diretores terão de ser apreciadas pela área técnica antes da votação pelo colegiado 

Por Mariana Zylberkan - Atualizado em 7 out 2019, 16h59 - Publicado em 7 out 2019, 16h07

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) adiou a votação a respeito da liberação do cultivo de maconha para fins medicinais no país. A reunião de diretoria do órgão, marcada para a manhã de terça-feira 8, foi transferida para o dia 15. Em nota oficial, a Anvisa atribuiu o adiamento a sugestões feitas por diretores do órgão, que terão que ser apreciadas pela área técnica antes da votação.

A discussão em torno da liberação do cultivo da Cannabis para uso medicinal tem oposto o presidente da Anvisa, o médico William Dib, ao ministro da Cidadania, Osmar Terra, que tem encampado campanha nas redes sociais contra a regulamentação.

A votação adiada trataria de duas propostas de RDCs (Resoluções da Diretoria Colegiada): uma que determina os critérios para o cultivo da planta para fins exclusivamente medicinais e a outra que regulamenta a produção de medicamentos à base de Cannabis. De acordo com a legislação da Anvisa, as RDCs regulamentam os critérios técnicos para uso e produção de substâncias controladas no país.

 

Continua após a publicidade

Segundo pesquisa realizada pelo DataSenado em parceria com a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), 75% dos brasileiros apoiam autorização para as indústrias farmacêuticas produzirem medicamentos à base de Cannabis

Publicidade