Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Anotação indica que Cunha recebeu R$ 45 milhões para aprovar emenda a favor do BTG

Informação estava anotada em documento encontrado pelos agentes da PF na casa do chefe de gabinete de Delcídio do Amaral

Por Da Redação 30 nov 2015, 06h38

Agentes da Polícia Federal encontraram um documento com anotações de um suposto pagamento de propina do banco de investimentos BTG Pactual ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e a outros peemedebistas, segundo reportagem no site do jornal O Globo, neste domingo.

De acordo com jornal, documento foi encontrado na casa do chefe de gabinete do senador Delcídio Amaral (PT-MS), Diogo Ferreira, indica que o BTG Pactual teria pago 45 milhões de reais a Cunha e a outros parlamentares do PMDB em troca de emenda a uma medida provisória, para permitir o uso de créditos fiscais da massa falida do banco Bamerindus, de propriedade do BTG.

Em comunicado, o BTG negou o pagamento por suposto benefício e disse estar à disposição de autoridades para esclarecimentos. Em sua conta no Twitter, Cunha disse que “é um verdadeiro absurdo e parece até armação”. “Amanhã qualquer um anota qualquer coisa sobre terceiros e vira verdade?”, questionou.

De acordo com O Globo, o conteúdo do documento mencionando o suposto pagamento de propina foi usado para embasar o pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de conversão da prisão temporária em preventiva do chefe de gabinete de Delcídio e do banqueiro André Esteves, controlador do BTG Pactual.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki determinou as prisões preventivas de Ferreira e de Esteves no domingo.

Delcídio, que era líder do governo no Senado, seu chefe de gabinete e o banqueiro foram presos na semana passada por suspeita de obstruírem a operação Lava Jato, que investiga um esquema bilionário de corrupção que envolve a Petrobras. Também foi preso o advogado do ex-diretor da área Internacional da petroleira Nestor Cerveró, Edson Ribeiro Filho.

Leia também:

Deputado acusa Cunha de fazer devassa em contas para intimidar adversários

STF decide manter prisão do banqueiro André Esteves

Continua após a publicidade
Publicidade