Clique e assine com até 92% de desconto

Amorim sobre a Defesa: ‘Não farei grandes mudanças’

Novo ministro se reuniu com o comando das Forças Armadas no Planalto

Por Luciana Marques 6 ago 2011, 19h20

O novo ministro da Defesa, Celso Amorim, afirmou neste sábado que vai apenas continuar o trabalho de seu antecessor no cargo, Nelson Jobim, e não pretende dar início a grandes reformas na pasta. Amorim esteve reunido durante quase duas horas com quatro comandantes das Forças Armadas, no Palácio do Planalto. Estavam presentes o almirante da Marinha, Júlio Soares de Moura Neto; o general de Exército, Enzo Martins Peri; o brigadeiro da Aeronáutica, Juniti Saito, e o general do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, José Carlos De Nardi.

“Não vou reinventar a roda. Vou trabalhar para implementar ações e diretrizes constantes da estratégia nacional de defesa. Vou me empenhar bastante para tocar as ações da pasta”, afirmou o novo ministro por meio de sua assessoria. No encontro, cada comandante fez uma exposição sobre as questões e programas mais urgentes da área, como o orçamento destinado às Forças Armadas. O ministro disse ter ficado bastante “satisfeito” com o encontro e prometeu marcar novas reuniões com os oficiais nos próximos dias. Ele também manifestou o desejo de conhecer as organizações militares no país.

No início da tarde, Amorim se reuniu com a presidente Dilma no Palácio da Alvorada a fim de receber as primeiras orientações para a condução da pasta. Na sexta Dilma Rousseff chamou os comandantes das Forças Armadas para um encontro para tentar acalmar os ânimos dos militares insatisfeitos com a indicação do ex-chanceler ao cargo, ocupado até quinta por Nelson Jobim. O ex-ministro tinha prestígio entre os militares e Amorim tem pela frente um árduo trabalho para conquistá-los.

A posse do novo ministro da Defesa está marcada para tarde de segunda-feira no Palácio do Planalto.

Continua após a publicidade
Publicidade