Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Amazonas proíbe circulação sem motivo urgente para conter coronavírus

A partir de segunda-feira, apenas uma pessoa por família pode sair para ir ao supermercado e só serviços essenciais vão funcionar

Por Josette Goulart Atualizado em 23 jan 2021, 16h04 - Publicado em 23 jan 2021, 15h54

O governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou neste sábado, 23, medidas altamente restritivas para tentar conter a explosão de novos casos de Covid-19. O estado está com seus prontos-socorros com mais de 100% de ocupação e filas para leitos de terapia intensiva. A partir de segunda, segundo o governador, as pessoas só podem sair de casa se houver extrema necessidade.  “Nossa polícia militar, civil, corpo de bombeiros estão nas ruas para garantir cumprimento. Objetivo não é punir nem prender ninguém, mas orientar as pessoas. Para evitar aglomerações e evitar abusos”, disse o governador em coletiva de imprensa.

Os supermercados só poderão abrir para vender alimentos, produtos de higiene e bebidas entre 6 e 22 horas. Restaurantes, bares e padarias só poderão funcionar por delivery. Somente farmácias podem abrir 24 horas. Apenas uma pessoa por família poderá sair para ir ao supermercado e haverá policiamento para orientar as pessoas, segundo o governador. As medidas valem por dez dias, a partir de segunda-feira. O governador diz que não é um lockdown, apesar das medidas bem restritivas. 

  • As regras mais rígidas de circulação estão sendo tomadas em meio a explosão de casos no Estado. Todos os pronto-socorros estão com ocupação acima de 100%, segundo informações do governo do estado. Além disso, o governador diz que a Procuradoria Geral da República exigiu que novas medidas fossem tomadas até que a taxa de contaminação esteja em linha com a capacidade de atendimento no sistema de saúde. O consumo de oxigênio ainda está elevadíssimo, por volta de 75 mil metros cúbicos por dia, o dobro do registrado no auge da pandemia no ano passado. Para abrir novos leitos, o governador disse que precisará de mais oxigênio ainda. A projeção é de uso de 120 mil a 130 mil metros cúbicos por dia em todo o estado para aumentar o número de leitos.

    No interior, os casos aumentaram 140% neste mês. A taxa de transmissibilidade também aumentou e está em 1,3, o que significa que a cada 100 pessoas com o vírus outras 130 também serão contaminadas. “Essa mutação nova tem capacidade muito grande de transmissão”, disse o governador em referência a nova cepa do coronavírus que foi encontrada no Estado. Segundo Lima há dois casos confirmados de reinfecção, mas pelos estudos que estão sendo feitos o número de casos pode ser bem maior, o que poderia explicar a subida exponencial de casos na última semana de dezembro e primeiro de janeiro. O estado chegou a triplicar o número de leitos no fim do ano passado, já prevendo um aumento do número de casos, mas a procurar por leitos quintuplicou e ainda há uma fila de mais de 580 pessoas. 

    O governador também vai determinar por decreto a ser publicado entre domingo e segunda-feira que as obras e serviços de engenharia parem, a não ser aquelas ligadas à área de saúde. Apenas produção e transporte de produtos essenciais à vida serão permitidos. A indústria passará a funcionar em turno de 12 horas, com exceção de empresas do setor de alimentação, farmácia e itens para hospitais. A restrição de circulação de pessoas será de 24 horas por dia. “O cidadão pode sair, mas só se houver extrema necessidade”, disse o governador. Ele disse também que vai continuar combatendo de forma enérgica qualquer festa clandestina ou reuniões festivas.

    Continua após a publicidade
    Publicidade