Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Além de Demóstenes, escutas da PF já ligam três deputados a Carlinhos Cachoeira

Carlos Leréia, Sandes Junior e Stepan Nercessian engrossam lista de envolvidos. Gravações revelam conversas sobre licitações, empréstimo de dinheiro e até a compra de uma frisa no Sambódromo do Rio

A lista de parlamentares ligados ao contraventor Carlinhos Cachoeira, capitaneada pelo senador Demóstenes Torres (DEM-GO), cresce a cada nova divulgação de escutas telefônicas da Polícia Federal. Os deputados federais Carlos Leréia (PSDB-GO), Sandes Junior (PP-GO) e Stepan Nercessian (PPS-RJ) também aparecem em conversas comprometedoras.

Reportagem da Folha de S. Paulo publicada no sábado revelou que Nercessian recebeu 175 mil reais de Cachoeira, no ano passado. Desse montante, 160 mil reais foram usados na compra de um apartamento e outros 15 mil reais com uma frisa no Sambódromo para o Carnaval desse ano. O deputado, que integra a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara, pediu licença do seu partido. Ele admite que é amigo de Cachoeira há mais de 20 anos e que já pagou os 160 mil reais tomados como empréstimo.

Já o tucano Carlos Leréia aparece em diálogos com Wladimir Garcez, apontado como braço-direita da organização criminosa de Cachoeira. Em uma das gravações, feitas em 2009, o deputado cobra o depósito de uma quantia em dinheiro. Segundo a polícia, eles tratavam de licitações e outros assuntos do interesse de Cachoeira.

Numa das escutas, publicada pelo O Globo, o deputado Sandes Junior negocia diretamente com Cachoeira:

Sandes – “Você recebeu lá na ADI. Eles deram vários cheques. É melhor dividir do que não receber. Até o final desse ano”.

Cachoeira – “Uê, foi bom então, uê. Então você tem que repartir comigo, que eu fiz você receber”.