Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Alckmin: “Foi um crime bárbaro, que nos envergonha”

Governador afirmou que dois suspeitos de queimar dentista viva em assalto já foram identificados e que prisões devem acontecer "nas próximas horas"

Por Da Redação 26 abr 2013, 15h15

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) classificou como bárbaro o crime que resultou na morte da dentista Cinthya Magaly, de 47 anos, nesta quinta-feira, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. A dentista foi queimada viva durante um roubo porque só tinha 30 reais na conta bancária, segundo a polícia. O governador disse que as prisões devem acontecer nas próximas horas. “Foi um crime bárbaro, que nos envergonha a todos.”

Suspeito de assassinar e queimar a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, em seu consultório em São Bernardo do Campo
Suspeito de assassinar e queimar a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, em seu consultório em São Bernardo do Campo VEJA

Dos quatro suspeitos, dois foram identificados. O governador garantiu que a polícia está empenhada na solução do crime. “Esperamos que rapidamente possamos entregar esses quatro à Justiça.” A polícia ainda não deu informações sobre o segundo suspeito identificado. No total, o bando seria formado por quatro homens e estaria promovendo assaltos a consultórios na região.

O menor apreendido nesta madrugada pela suspeita de participação na morte de Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, deu o nome de Jonatas Cassiano Araújo, de 21 anos, como um dos ladrões que invadiu o consultório no bairro Jardim Copacabana por volta das 12h30 desta quinta-feira. Segundo o adolescente, de 17 anos, Jonatas lhe telefonou confessando o crime, que ocorreu na tarde de quinta-feira e chocou a cidade. O menor chegou a ser chamado para participar do assalto, mas não quis participar.

Segundo a polícia, Jonatas usou o carro da mãe, um Audi preto, na fuga do assalto ao consultório de Cinthya e em outros dois crimes – o roubo a uma residência e a outro consultório. O veículo foi apreendido e passa por perícia.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade