Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

‘Inaceitável’, diz presidente da OAB sobre agressão de PMs a advogado

Governador de Goiás, Ronaldo Caiado criticou ação e determinou afastamento de agente envolvido

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 25 jul 2021, 17h24 - Publicado em 25 jul 2021, 16h48

O presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, criticou a ação de policiais militares de Goiás que algemaram, agrediram com socos no rosto e arrastaram pela rua um advogado durante uma ação de repressão a flanelinhas em Goiânia. 

O caso ocorreu na última quarta-feira 21. Os policiais coibiam o trabalho de guardadores de carros quando o advogado Orcelio Ferreira Silveiro Júnior, de 32 anos, intercedeu em favor dos flanelinhas.

Um vídeo com Júnior sendo agredido pelos policiais viralizou nas redes sociais. O governador do Estado, Ronaldo Caiado, reconheceu o excesso e chegou a determinar o afastamento de um dos agentes envolvidos na agressão. Um procedimento administrativo interno da polícia foi instaurado para apurar os fatos e a conduta dos policiais.

Segundo Santa Cruz, o episódio de agressão foi “grave e inaceitável” e demonstrou total “descontrole” da força policial. Ele diz que se a polícia é violenta com advogados, que são profissionais conhecedores da lei e habilitados para enfrentar excessos das autoridades, ela pode ser ainda mais violenta com pessoas comuns. 

“Se a polícia faz aquilo com um advogado, imagina o que não faz com o cidadão comum?”, questiona. 

A OAB vai ajuizar uma ação civil pública em Goiás pedindo indenização coletiva da Polícia Militar. Caso seja aceita, a indenização será destinada a um fundo de apoio à defesa dos direitos humanos. 

A Ordem também pediu ao governo de Goiás que crie protocolos de conduta para as polícias.  

Continua após a publicidade
Publicidade