Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Agência vai liberar 2ª cota do volume morto ‘em parcelas’

Com a aprovação dos 106 bilhões de litros adicionais, o nível das represas subirá 10,7%

Por Da Redação 18 out 2014, 08h12

A Agência Nacional de Águas (ANA) aceitou nesta sexta-feira liberar a retirada de água da segunda cota do volume morto do Sistema Cantareira em “parcelas”, mas com novas regras de captação para que o manancial chegue ao fim de abril de 2015 com ao menos 10% da capacidade original. Na sexta, o nível do sistema caiu para 3,9%, considerando a primeira cota da reserva profunda. Na prática, o manancial está cerca de 15% negativo. Com a aprovação dos 106 bilhões de litros adicionais, o nível das represas subirá 10,7%.

Leia também:

Com outubro seco, déficit do Cantareira sobe 16% no mês

Justiça libera captação da 2ª cota do volume morto do Cantareira

Em ofício enviado ao Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo (DAEE), o presidente da ANA, Vicente Andreu, afirma que o uso do segundo volume é “necessário em função da severa estiagem”, mas propõe que a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) apresente uma proposta da quantidade de água que precisará utilizar até o dia 30 de novembro “para que não haja risco de descontinuidade no abastecimento” da Grande São Paulo e na região de Campinas, onde cerca de 12 milhões de pessoas são abastecidas pelo Cantareira. Segundo a empresa, a primeira cota deve durar até o dia 15 de novembro.

Continua após a publicidade

No tribunal – A liberação ocorre um dia após o Tribunal Regional Federal (TRF) derrubar uma liminar da Justiça Federal em Piracicaba que proibia a captação da segunda reserva, com base em uma ação movida pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual – que anunciaram que vão recorrer da decisão. “O juiz analisou a competência, mas não o mérito da ação. O fato é que os órgãos gestores não estão se entendendo na condução da crise, e a situação está se agravando”, disse o promotor Rodrigo Garcia.

A Sabesp conta com a segunda reserva para manter o abastecimento até março de 2015 sem decretar racionamento oficial. A ANA, contudo, quer que a Sabesp reveja o planejamento apresentado no projeto de operação do Cantareira enviado na semana passada. Segundo Andreu, o volume de água que tem entrado nas represas está 3,8 vezes abaixo do utilizado pela Sabesp em suas projeções.

Ele defende que a companhia retire uma quantidade de água condicionada ao volume de entrada para que o manancial chegue ao fim de abril de 2015, quando começa o próximo período de estiagem, com ao menos 10% da capacidade útil, mesmo índice de abril deste ano. Essa meta também estava na liminar que foi derrubada pela Justiça.

A proposta da Sabesp previa, em seu pior cenário, que o Cantareira chegaria ao fim de abril com 5% negativos da capacidade e a manutenção do volume retirado em 18.500litros por segundo por seis meses. Caso o DAEE concorde com a proposta da ANA e a seca continue, a Sabesp terá de reduzir sua captação, o que pode provocar mais falhas no abastecimento.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)