Clique e assine a partir de 8,90/mês

Advogado diz que goleiro Bruno é pai do filho de Eliza, segundo teste de DNA

Representante da mãe da jovem afirma que laudo está pronto, mas Justiça não confirma resultado. Jogador preso em contagem é acusado de assassinato

Por Andréa SIlva, de Belo Horizonte (MG) - 20 out 2010, 19h19

O menino Bruninho, atualmente com oito meses, está sob a guarda da avó desde o mês de julho, vivendo no Mato Grosso do Sul

A ação corre em segredo de Justiça e não há confirmação oficial, mas o o advogado José Arteiro Cavalcante Lima, que representa Sônia de Fátima Moura, mãe de Eliza Samudio, afirmou, nesta quarta-feira que o resultado do exame de DNA atesta que o goleiro Bruno Fernandes é o pai do filho da jovem. A oficialização do laudo, segundo José Arteiro, está dependendo apenas da assinatura do médico responsável pelo laboratório do Rio de Janeiro, onde o exame foi realizado.

O menino Bruninho, atualmente com oito meses, está sob a guarda da avó desde o mês de julho, vivendo no Mato Grosso do Sul. Para o advogado, o exame do resultado comprova a certeza que a família de Eliza tinha sobre a paternidade. Segundo ele, a semelhança entre a criança e o jogador é muito grande. “Fiquei impressionado como o menino parece com o Bruno. Ele tem até a covinha no queixo. A única diferença é que a criança é clarinha, como a mãe, e o jogador é moreno”, disse Arteiro.

Recentemente, Sônia e a criança estiveram em Minas, hospedadas na residência do advogado. Ela participou das sessões da audiência de instrução e julgamento do processo de desaparecimento e morte de Eliza, realizadas na semana passada, no Fórum de Contagem.

De acordo com José Arteiro, o exame de DNA foi realizado após coleta de material cedido pelo jogador no mês de agosto, época em que esteve no

Rio de Janeiro, para audiência do processo de agressão contra Eliza. Os Tribunais de Justiça de Minas Gerais e do Rio de Janeiro não confirmaram sobre a conclusão do exame. A assessoria do TJRJ alegou que o processo corre em segredo de Justiça e sendo assim, não poderia passar qualquer informação que esteja ligado ao exame de DNA e o reconhecimento de paternidade.

As advogadas Tárcia Borges e Mária Lúcia, que representam Sônia Moura no Rio, não quiseram falar sobre o resultado do exame, mas confirmaram que o laudo está pronto. Questionadas sobre um resultando positivo, elas afirmaram que vão tomar as providências devidas – reconhecimento de paternidade, pensão alimentícia e pedido para o bloqueio dos bens de Bruno, hoje administrados pelo advogado do atleta, Ércio Quaresma.

Cerca de um mês após ser preso na Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o goleiro Bruno raspou a cabeça e ele mesmo queimou todos os fios para evitar que eles fosse usado em possível exames de DNA.

Continua após a publicidade
Publicidade