Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Acusados de matar Mércia Nakashima vão a júri popular

Justiça também manteve a prisão preventiva de Mizael Bispo dos Santos e Evandro Bezerra Silva. Defesa dos acusados ainda pode recorrer da decisão

Por Da Redação 21 mar 2012, 14h58

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou na manhã desta quarta-feira dois recursos requeridos pela defesa do advogado Mizael Bispo dos Santos e do vigia Evandro Bezerra Silva, acusados de matar a advogada Mércia Nakashima, em maio de 2010, na cidade de Nazaré Paulista. O TJ manteve o pedido de prisão preventiva dos dois acusados e decidiu que eles serão levados a júri popular.

Segundo o TJ, foi unânime a decisão dos três desembargadores da 12ª Câmara de Direito Criminal, Angélica Mello de Almeida, Carlos Mañas e Breno Guimarães Júnior. A defesa dos acusados ainda pode recorrer da decisão.

O ex-policial militar Mizael Bispo dos Santos está preso desde fevereiro deste ano, quando se entregou no Fórum de Guarulhos, na Grande São Paulo. Ele era procurado desde 7 de dezembro de 2010, quando teve sua prisão decretada pela Justiça devido à morte de Mércia, sua ex-namorada. Bezerra Silva, apontado como cúmplice no crime, continua foragido. Os dois foram denunciados por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, cruel e sem possibilidade de defesa da vítima).

O crime – Mércia desapareceu depois de sair da casa dos avós, em Guarulhos, em 23 de maio de 2010. Em 10 de junho, após receber informações de um pescador, a polícia localizou o carro da advogada submerso numa represa de Nazaré Paulista, no interior do Estado. O corpo, em estado avançado de decomposição, foi encontrado um dia depois. O laudo do Instituto Médico-Legal (IML) apontou que afogamento como a causa da morte.

Continua após a publicidade
Publicidade