Clique e assine a partir de 9,90/mês

A menos de 24 horas da votação do impeachment, bate-boca e empurra-empurra na Câmara

Por Da Redação - 16 Apr 2016, 23h15

Depois de 34 horas de discursos a respeito do impeachment da presidente Dilma Rousseff no plenário da Câmara, e à medida que a votação se aproxima, os ânimos das excelências começam a se exaltar. Há pouco, houve empurra-empurra protagonizado por Alberto Fraga (DEM-DF) e Valmir Prascidelli (PT-SP). A troca de gentilezas com dedos em riste se deu porque o deputado Hélio Leite (DEM-PA) passou a vez de discursar a Fraga, que subiu à tribuna. Após protestos de petistas, entre os quais Prascidelli, contra a troca, o democrata desceu do parlatório e o entrevero se formou. Cerca de dez minutos depois, ouviu-se um bate-boca com direito a “cale a boca, deputado, seu mal criado”, dirigido pelo petista Givaldo Vieira (PT-ES) ao tucano Rocha (PSDB-AC). Vitor Valim (PMDB-CE) e Sibá Machado (PT-AC) também perderam a compostura e levaram a campainha de ordem a ecoar durante algum tempo no plenário. Ofendido por Valim ter chamado os petistas de “bandidos e safados”, Sibá foi ao encontro do colega e, na sua vers��o, pegou em seu braço, dizendo-lhe que “devolveria” o discurso na tribuna. “Vou lhe dar um pau” foi a expressão exata, segundo o próprio petista. De acordo com o peemedebista, no entanto, ele se sentiu ameaçado e reagiu após Sibá ter lhe dado um tapa no peito. (João Pedroso de Campos, de Brasília)

Publicidade