Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
#VirouViral Por Coluna Como surgem e se espalham os assuntos mais comentados da internet

Noiva dança funk em casamento e gera polêmica na internet

#VirouViral o vídeo dos noivos Paula Marques e Antonio Neto dançando em sua festa de casamento no último dia 12, em Rio Branco (AC). Eles começaram com a música romântica Thinking Out Loud, de Ed Sheeran. No meio da apresentação, porém, a noiva tirou a saia do vestido, ficando apenas com um collant, para dançar músicas como o […]

Por Luiza Donatelli Atualizado em 30 jul 2020, 21h13 - Publicado em 29 nov 2016, 18h45

#VirouViral o vídeo dos noivos Paula Marques e Antonio Neto dançando em sua festa de casamento no último dia 12, em Rio Branco (AC). Eles começaram com a música romântica Thinking Out Loud, de Ed Sheeran. No meio da apresentação, porém, a noiva tirou a saia do vestido, ficando apenas com um collant, para dançar músicas como o funk Sim ou Não, de Anitta e Maluma, Vou Desafiar Você, de MC Sapão, e Bumbum Granada, dos MCs Zaac & Jerry.

Confira:

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fpaulinha.marques.39%2Fvideos%2F1147352062010652%2F&show_text=0&width=400

O que era para ser um momento feliz e divertido, no entanto, acabou sendo alvo para comentários machistas. Ao blog, ela conta como se sentiu após a repercussão:

De onde veio a ideia de fazer a dança no seu casamento? Você se inspirou em alguém? A motivação foi o look de uma noiva que estava dançando Beyoncé. Meu marido viu o vídeo dela no Facebook e me mostrou. Muitas pessoas também me marcaram na publicação e decidi fazer algo diferente como ela, mas com funk. Nos ensaios tive vergonha, mas na hora deu certo!

Marques se inspirou nesse vídeo, da atriz e dançarina canadense Melissa Molinaro:

Um vídeo publicado por Melissa Molinaro (@melissamolinaro) em Out 17, 2016 às 8:33 PDT

//platform.instagram.com/en_US/embeds.js

Continua após a publicidade

Você sempre gostou de funk? Sim, sempre! Porém, não é meu ritmo preferido (risos).

Por que escolheu o funk, então? Apesar de não ser meu estilo no dia a dia, sou muito eclética. Uma das músicas que dancei foi justamente um funk porque atualmente é uma das que mais ouço. Mesmo assim, quem viu o vídeo todo pôde perceber que há forró e sertanejo, também. São canções que eu e Antonio, meu noivo, curtimos juntos.

E qual o tipo de comentário que você recebeu? Como você e seu marido reagiram? Em um primeiro momento, gostamos muito. No meu Face foram só comentários positivos de pessoas que me conhecem e sabem da minha índole. Mas, quando o vídeo viralizou, fiquei assustada com algumas reações. Só um tanto depois consegui relevar e rir, ao lado do meu marido. Isso porque a ofensas vieram de pessoas que sequer me conheciam.

Quais comentários te assustaram? Os desse tipo: “Casou com uma garota de programa”; “Esse casamento não vai durar 2 meses”; “Imagina a cara da família do noivo”. Se eles soubessem que o próprio avô do noivo (de 78 anos) foi aos ensaios e amou a ideia (risos), não falariam isso.

Você chegou a afirmar que recebeu comentários machistas. Considera-se feminista? Partindo do princípio de que o feminismo busca a igualdade entre os gêneros, sim, creio então que eu seja. Antes disso tudo nunca havia pensado que o machismo fosse me atingir dessa forma. Contudo, agora vejo que esse mal, assim como outros tipos de preconceitos, são latentes em nossa sociedade.

Arrepende-se de ter postado o vídeo? A repercussão vai te inibir de fazer alguma nova publicação, no futuro? Não, de forma alguma. Apesar de não ter sido postado por mim na primeira vez, não me arrependi. Da dança, do vídeo e até mesmo da repercussão. Mostra quem eu sou: autêntica e descontraída. Não pretendo mudar para agradar as pessoas que se sentiram incomodadas.

Imaginava que o seu vídeo faria tanto sucesso na internet? Nunca passou pela minha cabeça que isso fosse acontecer (risos). Nosso casamento foi para 150 convidados, apenas amigos mais próximos e familiares. Jamais imaginamos que fosse viralizar assim. Estamos impressionados.

Qual é o seu conselho para quem também se vê alvos de ofensas na internet? Minha dica é bem simples, como disse em meu Facebook: vivam e se permitam viver! Tudo na vida serve de aprendizado e, apesar das coisas ruins, temos que filtram emoções e canalizá-las apenas para o lado positivo.

Continua após a publicidade
Publicidade