Clique e assine a partir de 9,90/mês
VEJA Recomenda Por Coluna Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA

Olhar perspicaz de Ricardo Piglia revisita anos 1970 em ‘Os Anos Felizes’

Em segundo volume de seus diários, autor examina os livros que leu, os títulos que escreveu e as conturbações políticas na Argentina

Por Redação - 24 maio 2019, 07h00
//Divulgação

(Tradução de Sérgio Molina; Todavia; 464 páginas; 84,90 reais ou 49 reais em versão digital) Este é o segundo volume (ainda há um terceiro a ser lançado no Brasil) dos diários que Ricardo Piglia (1941-2017), um dos melhores escritores argentinos revelados na segunda metade do século XX, deixou como última grande obra. Sob a persona de Emilio Renzi, seu alter ego nas obras de ficção, Piglia revisa aqui os anos de 1968 a 1975, examinando, com olhar arguto e estilo elegante, os livros que leu, os títulos que escreveu e as conturbações políticas de seu país.

Publicidade