Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
VEJA Recomenda Por Coluna Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA

Em romance perturbador, Don DeLillo examina a imortalidade

É ficção científica, mas com uma especulação filosófica que não se encontra sempre no gênero

Por Da Redação Atualizado em 22 set 2017, 06h01 - Publicado em 22 set 2017, 06h00
//Divulgação

Autor de Ruído Branco e Cosmópolis, o americano Don DeLillo, 80 anos, examina em Zero K (tradução de Paulo Henriques Britto; Companhia das Letras; 272 páginas; 49,90 reais ou 34,90 em versão digital), este perturbador romance, uma antiga ambição humana: a imortalidade. Jeffrey Lockhart, o protagonista, é convidado por seu pai, um magnata da tecnologia, a conhecer seu mais radical empreendimento: uma imensa instalação em que se guardam cápsulas criogênicas com o corpo de pessoas que esperam ressuscitar no futuro. É ficção científica, mas ao modo sombrio de DeLillo, com uma especulação filosófica que não se encontra sempre no gênero.

Publicidade