Clique e assine com 88% de desconto
VEJA Recomenda Por Coluna Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA

Em ‘Planeta Fome’, Elza Soares dialoga com artistas da nova geração

Aos 89 anos, cantora segue faminta pelo que acontece de diferente no cenário da MPB e do pop nacional

Por Sérgio Martins - Atualizado em 20 set 2019, 10h23 - Publicado em 20 set 2019, 07h00
Disco – Planeta Fome, de Elza Soares (Deck) //Divulgação

(Deck) O título do álbum faz referência a um episódio da adolescência da cantora. Elza foi se apresentar no programa de calouros do compositor Ary Barroso e ele, ao vê-la toda mal-ajambrada, perguntou de que planeta a menina teria vindo. “Planeta Fome” foi a resposta de Elza. Hoje, a única fome dela é pelo que acontece de diferente no cenário da MPB e do pop nacional. Aos 89 anos, Elza não se cansa de dialogar com artistas da nova geração. Planeta Fome é talvez o resultado mais feliz dessa busca até agora. Ela regrava o samba Comportamento Geral, de Gonzaguinha, com roupagem de reggae de protesto. Entre as boas surpresas estão Não Recomendado, de Caio Prado, e Libertação, de Russo Passapusso, do grupo BaianaSystem (que participa da faixa ao lado de Virginia Rodrigues).

Publicidade