Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
VEJA Recomenda Por Coluna Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA

Com bela atuação de Tahar Rahim, ‘O Mauritano’ recria drama de Guantánamo

Também com Jodie Foster e Benedict Cumberbatch, filme resgata a jornada real de Slahi por sua liberdade, depois de preso por vinte meses sem provas

Por Isabela Boscov Atualizado em 11 jun 2021, 12h54 - Publicado em 11 jun 2021, 07h00

Quando Mohamedou Ould Slahi publicou o autobiográfico Diário de Guantánamo, em 2015, ele ainda estava preso na base americana na costa de Cuba. Só seria libertado vinte meses depois, após catorze anos de encarceramento sem nem sequer uma acusação formal. Detido no fim de 2001, sob suspeita de ter ajudado a recrutar os terroristas do 11 de Setembro, Slahi (Tahar Rahim) demorou quase uma década até obter o auxílio da advogada Nancy Hollander (Jodie Foster). As diligências dela levantaram tantas imprecisões que até o procurador militar do caso (Benedict Cumberbatch) começou a duvidar da legitimidade do seu trabalho. O diretor Kevin Macdo­nald, de O Último Rei da Escócia, recria o episódio com brio — mas o destaque é a atuação magistral de Rahim. Disponível para aluguel no NOW e em outras plataformas.

Publicidade