Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
VEJA Música Por Sérgio Martins Música sem preconceito: de Beethoven a Pablo do arrocha, de Elis Regina a Slayer

Os novos rumos de Péricles

Ex-integrante do Exaltasamba, o cantor e violonista Péricles, conta um pouco sobre a nova etapa em sua carreira

Por Sérgio Martins - Atualizado em 5 dez 2018, 20h58 - Publicado em 25 set 2018, 20h51

Péricles Faria é um dos maiores intérpretes do país. Não apenas de samba, gênero em que se consagrou à frente do Exaltasamba, como também de soul music e MPB. No dia 6 de outubro, em São Paulo, ele dá um novo – e importante – passo em sua carreira. O cantor vai estrear o espetáculo Em Sua Direção, dirigido pelo ator Lázaro Ramos. “É um show para o público, mas para mostrar esse grande artista”, diz Ramos. A apresentação, além de divulgar o novo disco de Péricles (que leva o mesmo nome do show e aqui será representado por sete canções inéditas), traz canções em inglês, espanhol e até homenagem à tradicional escola Estação Primeira de Mangueira.

Um dos velhos conhecidos do VEJA Música – é a terceira entrevista que dá para o programa – Péricles fala das expectativas em relação ao show e por que decidiu se autoempresariar. Ele fala ainda de como Se Eu Largar o Freio, um de seus sucessos mais recente, acabou se tornando uma sensação na internet. Entre as novas canções, o sambista ensina ao público o refrão de Até que Durou, uma bela balada dor de cotovelo, que fará parte de seu próximo lançamento. Outro grande momento da conversa é a versão voz e violão de Lugar Comum, de Deserto da Ilusão (2017), que era cantada ao lado do grupo Sorriso Maroto. Depois de São Paulo, Em Sua Direção parte para o Rio de Janeiro e em seguida, para as principais capitais do país.

Publicidade