Clique e assine a partir de 9,90/mês
VEJA Música Por Sérgio Martins Música sem preconceito: de Beethoven a Pablo do arrocha, de Elis Regina a Slayer

Me engana que eu gosto: Anitta e mais cinco cantoras flagradas no playback

A artista carioca admitiu ter usado "vocais de apoio" em sua apresentação no Rock in Rio - e não está sozinha no uso desse recurso no universo pop

Por Sérgio Martins - Atualizado em 7 out 2019, 18h48 - Publicado em 7 out 2019, 12h42

A cantora Anitta foi flagrada fazendo playback em sua apresentação no Rock in Rio, no último sábado. Ela se defendeu, dizendo que eram “vocais de apoio” e que é comum os intérpretes de pop utilizarem esse recurso porque é praticamente impossível executar coreografias complicadas sem ofegar ao microfone ou desafinar – o depoimento foi dado antes do show da cantora P!nk, que colocou por terra todo esse tipo de desculpa. A dublagem, ou lyp-sincing, como é chamado lá fora, é comum no universo pop. Num tempo em que os grandes shows são coreografados como um musical da Broadway e o público exige perfeição a todo custo, os artistas preferem dublar do que mostrar que são feitos de carne e osso. E isso vale até para nomes como Beyoncé, que nunca teve problema em cantar. Abaixo, conheça casos em artistas famosos apelaram ao velho e bom “som na caixa, mané!” (como dizia Renato Aragão, o Didi Mocó, toda vez que pedia para o sonoplasta do programa toda vez que um artista ia fazer playback):

Britney Spears

Britney está nervosa. Sabe que tem de dublar em 80 cidades americanas diferentes”, brincou a comediante Joan Rivers. Flagrada durante o Rock in Rio 2001, ela se defendeu das acusações dizendo fazer uma “mistura” de suas gravações com os vocais ao vivo. Mas a verdade é que seus shows são pura dublagem.

https://www.youtube.com/watch?v=latnnIrJC30

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Victoria Beckham

Ela foi das Spice Girls, quinteto pop que dominou a parada inglesa na segunda metade dos anos 90. Mas Victoria nunca foi o principal vocal em nenhuma das canções do grupo – fazia uma ou outra intervenção nas músicas. Recentemente, revelou que seu microfone era desligado durante as apresentações ao vivo.

Ellie Goulding

Durante uma conversa com VEJA, a cantora inglesa disse que tinha feito o teste de som no dia anterior e que estava tudo bem. Mas o único momento em que não dublou foi quando pediu para a plateia dar um “alô” para uma amiga, que estava se casando no dia de sua apresentação.

Ellie Goulding, que dublou em sua apresentação no Rock in Rio Ariel Martini/Divulgação

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Madonna

Em 2004, durante uma premiação da revista inglesa Q, Elton John ironizou o prêmio de “melhor show” dado a Madonna. “Só se for show de dublagem”, disparou. Embora negue o uso desse truque, Madonna faz playback na hora das coreografias e sua apresentação no Superbowl, em 2012, foi um festival de dublagens.

Continua após a publicidade

Beyoncé

A diva da moderna soul music foi flagrada num escandaloso caso de dublagem quando cantou o hino americano na reeleição de Barack Obama, em 2013. Ela admitiu o recurso, mas sempre negou que seus shows tivessem playbacks. Mas, sim: Beyoncé dubla, ainda que discretamente, na hora das coreografias.

Publicidade