Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

L7 anuncia duas apresentações no Brasil

O grupo americano, uma das lendas do rock alternativo, toca nos dias 01 e 02 de dezembro em São Paulo e no Rio de Janeiro. Os ingressos já estão à venda

Perguntem aos seus pais: em janeiro de 1993, quatro meninas de Los Angeles fizeram o melhor show do Hollywood Rock, então o principal festival de música do Brasil. Donita Sparks e Suzi Garden (guitarras e vocais), Jennifer Finch (baixo) e Dee Plakas (bateria), o L7, suplantaram grupos celebrados como Red Hot Chili Peppers e Nirvana – que, diga-se não passavam por um bom momento artístico – e o sorumbático Alice in Chains. O quarteto trouxe na bagagem o repertório de seu mais recente disco na época, o ótimo Bricks are Heavy (1992) e protagonizou outros espetáculos além da música. Jennifer era vista aos beijos com Courtney Love, mulher de Kurt Cobain, e o quarteto e mais seus roadies expuseram seus rotundos glúteos na janela do ônibus para uma multidão de fãs e fotógrafos (abaixo, a íntegra da apresentação delas no Rio).

Um quarto de século depois, Donita, Suzi, Jennifer e Dee estão de volta ao país – pelo menos como L7, visto que Donita se apresentou por aqui anos atrás. O grupo se apresenta em dezembro no Rio de Janeiro (dia 01, no Circo Voador, ingressos á venda no link https://carrinho.tudus.com.br/circo-voador-l7/tickets) e São Paulo (02, no Tropical Danças, ingressos à venda no link http://www.clubedoingresso.com/l7-sp ). O L7, que fique bem claro, não é o tipo de banda que volta apenas para tocar antigos sucessos. O grupo tem um punhado de músicas prontas, que recuperam muito da sonoridade agressiva dos anos 90. I Came Back to Bitch, que ganhou um ótimo videoclipe, e Dispatch from Mar-a-Lago.

O L7 surgiu em 1985 na cidade de Los Angeles, sob as mãos de Donita Sparks e Suzi Gardner. Mais tarde, receberam a adesão da baixista Jennifer Finch e do baterista Roy Koutsky – mais tarde substituído por Anne Anderson e posteriormente por Dee Plakas. Foi com essa formação que elas se tornaram um dos grupos de maior destaque do rock alternativo americano, que vivia um período de destaque graças ao sucesso das bandas de Seattle (Nirvana, Alice in Chains, Soundgarden) e de bandas como o Smashing Pumpkins. A saída de Jennifer Finch – substituída por Gail Greenwood, ex-Belly – foi o ponto de partida de um lento declínio, que culminou com o fim de banda em 1999. Quinze anos depois, contudo, elas retomaram a formação clássica. A volta aos palcos foi sucedida por um documentário e uma vaquinha virtual para angariar fundos para a gravação de um novo álbum. Que deverá estar pronto a tempo para a turnê brasileira. As apresentações em São Paulo contaram com shows do Pin Ups, lendária banda do rock alternativo brasileiro, e Deb and the Mentals.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s