Clique e assine a partir de 9,90/mês
VEJA Gente Por João Batista Jr. Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Sthefano Costa é preso ao chegar do festival Burning Man

O acusado de fraudar Fies e vender vagas em faculdade tinha vida de "rei do camarote"

Por João Batista Jr. - Atualizado em 9 Sep 2019, 11h08 - Publicado em 9 Sep 2019, 10h14

Preso na semana passada acusado de fraudar o Fies e vender vagas de medicina em seu conglomerado de faculdades, em um rombo que pode superar 500 milhões de reais, Sthefano Costa foi algemado pela polícia assim que desembarcou no Aeroporto de Cumbica. A surpresa não poderia ter sido maior. Ele vinha do badalado festival de música Burning Man, que atraiu 80 000 pessoas a um deserto de Nevada. Estamos falando de uma festa de altíssimo nível, com gente famosa e rica de todos os cantos do mundo. Pessoas que o encontraram no festival disseram que ele estava animadíssimo e, como sempre, arrogante. Nesta edição do Burning Man, compareceu também o empresário Alvaro Garnero, amigão de Costa.

 

Recordar é viver: Sthefano Costa foi um dos personagens da matéria “Os Sultões do Camarote”, publicada por VEJA SÃO PAULO em 2013, que contava detalhes do comportamento perdulário de rapazes ricos em baladas. Costa era, antes de ser preso, um dos maiores clientes de restaurantes e boates de luxo de São Paulo. O rapaz é acusado de pertencer ao esquema criminoso criado por seu pai, José Fernando Pinto da Costa.

 

Publicidade