Clique e assine a partir de 9,90/mês
VEJA Gente Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

SBT pede investigação interna após morte no Rio; MP quer fechar sede

Trinta e oito funcionários foram afastados; um deles faleceu em decorrência do coronavírus

Por João Batista Jr. - Atualizado em 14 abr 2020, 17h21 - Publicado em 14 abr 2020, 17h10

Após um surto de coronavírus em sua sede carioca, o SBT pediu nesta terça, 14, que o compliance do Grupo Silvio Santos investigue uma possível negligência por parte da direção da sucursal da emissora, no Rio. Procurada por VEJA, a emissora diz não falar de assuntos internos. Ao todo, 38 funcionários do Rio, entre jornalistas, editores e apresentadores foram afastados por suspeita de coronavírus. Alguns já receberam testes positivos para o vírus.

A crise se agravou com a morte do editor de imagem José Augusto Nascimento Silva na segunda-feira, 13, em decorrência da Covid-19. Um áudio que Silva enviou para colegas de trabalho fala da falta de cuidado e respeito por parte do canal: “Nenhum lugar no Rio de Janeiro tem mais casos suspeitos que no SBT. Eu agora estou sob suspeita, inclusive com atestado de 14 dias que o doutor deu porque me calcei, sabe que não sou burro”, consta no áudio. Naná, como era conhecido o funcionário, tinha 57 anos.

ASSINE VEJA

O vírus da razão O coronavírus fura a bolha de poder inflada à base de radicalismo. Leia também: os relatos de médicos contaminados e a polêmica da cloroquina
Clique e Assine

O compliance do Grupo Silvio Santos vai apurar se a direção obrigou os funcionários a seguir o expediente mesmo com sintomas da doença. Funcionários, diretores e integrantes do RH serão escutados nos próximos dias. Nesta terça, o Ministério Público do Rio de Janeiro solicitou uma inspeção sanitária na sede do SBT e pediu o fechamento da sede da emissora de Silvio Santos. O requerimento ao MP foi feito pelo Conselho Deliberativo da Associação Brasileira de Imprensa.

Publicidade