Clique e assine a partir de 9,90/mês
VEJA Gente Por João Batista Jr. Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Regina Duarte terá queda brutal de salário se entrar no governo Bolsonaro

Atriz tem contrato vigente com a Globo

Por João Batista Jr. - Atualizado em 17 jan 2020, 19h14 - Publicado em 17 jan 2020, 18h31

Conforme publicou a Folha de S. Paulo, a atriz Regina Duarte foi convidada para assumir o comando da Secretaria Especial da Cultura no lugar de Roberto Alvim, que caiu após copiar discurso e estética nazista em pronunciamento. O próprio Jair Bolsonaro teria telefonado para ela, que ficou de responder até sábado, 18. Caso aceite a vaga, Regina terá uma queda enorme de seus rendimentos. Alvim recebia 15.689,26 reais de salário. Na Rede Globo, Regina tem salário fixo de 60 000 reais — e passa para 120 000 reais quando está no ar. Procurada por VEJA, a emissora informa que a atriz segue com contrato vigente com a empresa. Regina ainda não comunicou o convite à Globo. A atriz disse dar uma resposta a Bolsonaro até sábado, 18.

A verdade é que Regina Duarte se sente deslocada dentro da emissora, diante da conjuntura do país e da visão dela de mundo. Apoiadora contumaz de Jair Bolsonaro, que por sua vez tem na emissora carioca uma grande inimiga, Regina não tem emplacado personagens marcantes em produções recentes. No fim do ano passado, com os cortes promovidos pela Globo, o nome dela foi falado como um dos que seriam limados – algo que não aconteceu.

André Sturm, Secretário de Audiovisual, também apareceu como cotado para assumir o posto de Alvim. Pessoas próximas a ele negam o convite.

Publicidade