Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
VEJA Gente Por Cleo Guimarães Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios
Conteúdo para assinantes

Parte da família criticou Regina Duarte por aceitar convite de Bolsonaro

O "sim" não caiu bem para alguns dos parentes da atriz, inclusive dois de seus filhos

Por João Batista Jr. Atualizado em 7 fev 2020, 10h07 - Publicado em 7 fev 2020, 06h00

Até dentro de casa a atriz Regina Duarte foi criticada por aceitar o convite do presidente Jair Bolsonaro para tocar a pasta da Cultura depois da saída de Roberto Alvim, o admirador de Goebbels. Dois dos filhos, João e Gabriela, ficaram irritados com a decisão, por discordarem de tudo o que o governo faz com as artes e em tantas outras áreas. Apenas André apoiou a mãe. Uma rodada de conversas selou a paz. Mas houve quiproquó também no círculo familiar mais amplo: dos cinco irmãos de Regina, somente um deles demonstrou entusiasmo. Os outros, não. O problema não é ideológico, mas prático. A Viúva Porcina tem fama de “avoada”, de coração demasiadamente mole, habituada a passar horas a fio nas redes sociais, vendo vídeos e memes. O medo é que ela não resista ao tiroteio de Brasília e acabe por jogar a toalha.

Publicado em VEJA de 12 de fevereiro de 2020, edição nº 2673

  • Publicidade