Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
VEJA Gente Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Regiane Alves: “Fazer uma prostituta aos 39 anos é uma alegria”

A atriz declara ainda que hoje prefere fazer séries a novelas

Por Bruno Meier Atualizado em 7 out 2017, 16h37 - Publicado em 7 out 2017, 16h31

 

Um luxo só.

Regiane Alves: aos 39, feliz por fazer séries Divulgação

É assim que Regiane Alves define o convite que recebeu para viver a prostituta Marli de Cidade Proibida, da Globo. “Fazer uma prostituta aos 39 anos é uma alegria. Temos a cultura de que apenas as mais novas podem fazer esse papel.” A atriz fez uma participação breve em A Lei do Amor, novela que antecedeu a atual A Força do Querer, mas, afora isso, está dando preferência a séries, cujo ritmo de gravação é menos desgastante: ela tem gravado de três a cinco cenas por dia, contra as cerca de vinte tipicamente feitas na produção de uma novela. Com a rotina mais leve, sobra tempo para curtir os filhos, João Gabriel e Antônio, frutos do casamento com o cineasta João Gomez, caçula de Regina Duarte. Luxo só, diz ela, também é o seu contrato, garantido até 2020, com a Globo, onde trabalha há dezoito anos. Cidade Proibida já tem uma segunda temporada programada para o ano que vem.

Publicidade