Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
VEJA Gente Por Cleo Guimarães Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

Jourdan Dunn fala de racismo: “Não dá para ficar quieta”

Modelo inglesa causou enquanto participava de um ensaio de moda de biquínis exóticos no Rio

Por Da redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h43 - Publicado em 28 set 2016, 15h07

2016_10_ELLE_Outubro_JourdanDunn_FotoMark Abrahams10 (Cópia)

Em 2015, a modelo inglesa Jourdan Dunn veio ao Rio de Janeiro e causou, enquanto participava de um ensaio de moda de biquínis exóticos. Mostrou demais. Um dos seios, em plenas areias da Barra da Tijuca, apareceu. Um piercing que atravessa o mamilo foi outro elemento que chamou atenção. Sem dar as caras ao Brasil desde então, Dunn falou à edição de outubro da revista ELLE, que chega sexta-feira (30) às bancas e tablets. A modelo falou sobre a carreira, o preconceito e como se tornou uma das primeiras modelos negras a fazer um anúncio da Prada, Angel da Victoria’s Secret, desfilando e fotografando para as maiores grifes do mercado. “Minha mãe, Diedre, me criou para valorizar todas as pessoas, e eu sempre tive muita opinião, me colocava de maneira forte. No começo, não sabia que podia fazer a diferença, mas mantinha ouvidos e olhos abertos. Com o tempo, foi ficando difícil aceitar certas coisas que desafiavam meus valores. Não dava mais para ficar quieta diante do preconceito. Não tive escolha a não ser falar”, explica Dunn.

Aos 26 anos, descoberta em uma loja da fast fashion Primark, Dunn também falou com orgulho do papel de mãe. Ela e a matriarca criam juntas seu filho, Riley. “O que me surpreende é a profundidade do meu amor pelo meu filho. Um amor que cresce todos os dias. Antes disso, nunca tinha me dado conta do poder que o amor tem. Claro que não me surpreende que eu ame muito o meu filho. O que me deixa surpresa é a profundidade e a pureza desse amor. Fico fascinada com a curiosidade dele pelo mundo. É uma coisa mágica.”

Confira a capa da próxima edição de ELLE:

2016_10_ELLE_Outubro_Capa (Cópia)

“As meninas precisam ser encorajadas a mudar o que elas podem mudar e abrir mão do que não podem. Já cometi muitos erros, mas me mantenho fiel a mim mesma. Espero que a minha verdade possa ser útil a alguém. No mundo dos social media, as meninas estão sendo constantemente pressionadas a ser perfeitas. Essa pressão gera confusão e leva a caminhos errados.”

2016_10_ELLE_Outubro_JourdanDunn_FotoMark Abrahams3 (Cópia)

2016_10_ELLE_Outubro_JourdanDunn_FotoMark Abrahams8 (Cópia)

Continua após a publicidade

Publicidade