Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
VEJA Gente Por João Batista Jr. Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Preso por dez dias, Sthefano Costa hoje curte a vida adoidado

Segundo a PF, o herdeiro da Universidade Brasil recebeu 500 milhões de reais de forma fraudulenta

Por João Batista Jr. - Atualizado em 10 jan 2020, 10h37 - Publicado em 10 jan 2020, 06h00

Herdeiro da Universidade Brasil, que segundo a PF recebeu 500 milhões de reais de forma fraudulenta, Sthefano Costa passou dez dias na prisão em caráter preventivo em setembro de 2019 suspeito de ter integrado organização criminosa e praticado estelionato. Seu pai, José Fernando, deixou a prisão depois de um mês. Em liberdade, o filho faz o que sabe melhor: curtir a vida. Adora champanhe e baladas em Mikonos e Ibiza. Ao lado de amigos, ficou hospedado em mansão pé na areia de Trancoso e se deslocou em aviões privados. Procurado por VEJA, seu advogado André Lins respondeu por nota: “Sthefano, que não tem impedimento legal, celebrou a virada do novo ano como convidado de Tommaso Chiabra — embaixador do Unicef e CEO da Royal Yacht Brokers —, juntamente com outros convidados. O empresário colaborou apenas na logística para a realização da festa, por estar no Brasil e conhecer bem a região, mas não empregou nenhum recurso financeiro próprio ou da instituição educacional que é alvo da investigação”. Então tá.

Publicado em VEJA de 15 de janeiro de 2020, edição nº 2669

Publicidade