Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
VEJA Gente Por Cleo Guimarães Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

‘O que vi foi um amor impressionante’, diz juíza que casou Gilberto Braga

Com cerca de 30 000 casamentos celebrados, Maria Vitória conta que ficou especialmente emocionada ao oficializar a união do autor com Edgar Moura Brasil

Por Cleo Guimarães Atualizado em 27 out 2021, 18h18 - Publicado em 27 out 2021, 18h16

Uma festa pequena, para cerca de 70 pessoas, entrou no rol das que mais emocionaram a experiente juíza de paz carioca Maria Vitória Riera, do 5º Ofício de Registro Civil. Em  quase 30 anos de atividade, ela oficializou mais de 30 mil uniões no Rio (contando aí os casamentos comunitários), e poucas vezes sentiu “uma coisa tão boa” como naquela noite, em março de 2014, quando casou Gilberto Braga e o arquiteto Edgar Moura Brasil.

De Sonia Braga para Gilberto Braga, com muito amor

Os dois já estavam juntos há 41 anos e entraram ao som de Faz Parte do Meu Show, de Cazuza, música que fez parte da trilha sonora da novela Vale Tudo, de 1988, um dos grande sucessos de Gilberto. “Senti um amor impressionante entre eles”, diz Maria Vitória. “Eram duas pessoas que realmente faziam muito bem uma à outra, isso ficava evidente”, lembra.

Chamou sua atenção também a felicidade “genuína” dos convidados – entre eles, Fernanda Montenegro, Gloria Pires e Silvio de Abreu. “O casal estava rodeado de amigos sinceros, vibrando com aquele amor. Talvez por isso eu tenha ficado mais emocionada que o normal”, admitiu a juíza. Ela ficou emocionada também ao falar com VEJA ao telefone. “Lembro que disse coisas lindas no discurso da união, bem como eles mereciam”. Gilberto morreu na noite desta terça (26), aos 75 anos, vítima de uma infecção gerada por uma perfuração no esôfago.

Continua após a publicidade

Publicidade