Clique e assine com 88% de desconto
VEJA Gente Por João Batista Jr. Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

O desfile de R$ 4 milhões: Marquezine solteira, 90 modelos, Ivete e Alok

Festa de 30 anos da Le Lis Blanc aconteceu no Jockey Club de São Paulo

Por João Batista Jr. - Atualizado em 19 out 2018, 12h06 - Publicado em 19 out 2018, 11h11

A moda brasileira passa por turbulências, com marcas tentando sobreviver diante da economia há anos em crise e um mercado que pede novidades diárias para despertar desejo de compra — quem não se movimenta, dança.

Chama a atenção, positivamente falando, a comemoração de 30 anos da Le Lis Blanc por duas razões. A primeira, por se manter tanto tempo no topo — com presença física em quase todo shopping do país e também forte no mundo digital.

A segunda é a suntuosa festa feita na quinta (18), no Jockey Club de São Paulo, para comemorar a ocasião. A marca é o carro-chefe do grupo Restoque, cujo portfólio inclui Rosa Chá, John John, Dudalina e Bo.Bô. Aos detalhes:

  • Foi montada uma passarela extensa na área externa do Jockey, com duas gruas de ferro em cada ponta por onde as modelos entravam e saíam. Em uma delas, o DJ Alok; na outra, uma orquestra. A plateia de 500 pessoas, em traje black-tie, acomodou-se na arquibancada para ver o show tendo como fundo os prédios iluminados de São Paulo. Depois de forte chuva, São Pedro deu uma trégua e o desfile pode ser executado. 

 

Publicidade
Publicidade
  • Na verdade, foram três desfiles de linhas distintas da Le Lis, em um total de 90 modelos. Repito: 90 modelos. A marca trouxe algumas das meninas mais importantes da história da moda do Brasil, de ontem e de hoje. Estavam lá Shirley Mallmann, Alessandra Ambrosio, Carol Trentini, Carol Ribeiro, Izabel Goulart, Bárbara Fialho, Lea T, Fernanda Motta e Ana Beatriz Barros. Quem acompanha a São Paulo Fashion Week sabe, muitas delas não desfilavam no Brasil há mais das quatro anos. Das internacionais, vieram algumas das estrelas mais importantes do momento, como Adut Akech, Josephine Skriver e Maria Borger. 
  • O casting teve muita modelo negra, sobretudo na apresentação da linha mais chique da marca, assinada por Helô Rocha. Representatividade bonita de se ver.
  • As convidadas não eram menos importantes. Bruna Marquezine, Mariana Rios, Preta Gil, Luciana Gimenez, Fiorella Mattheis. Um dos assuntos de noite: Marquezine assumiu seu enésimo rompimento com Neymar. A decisão, segundo a própria Bruna, partiu do jogador de futebol — Bruna estava morando com ele, em Paris. Para a Vogue, ela disse que o rompimento não teve razão política. 

 

Publicidade
Publicidade
  • O desfile foi seguido de um jantar, com todos sentados. Em quase todas as mesas, as eleições presidenciais dominaram as rodas de conversa. 

 

Publicidade
Publicidade
  • Ao fim, show da Ivete Sangalo, que estava bastante inspirada. A cantora baiana fez uma alternativa de duas horas, todos seus hits — além de músicas de Tim Maia, Kaoma e Timbalada. Em determinado momento, ela chamou dois rapazes ao palco, fez graça com a estado etílico de um deles e pediu para tomar cuidado quando ambos dançaram lambada. “Cuidado, tenho uma hérnia de disco”, disse a cantora. Preta Gil e Mariana Rios também subiram ao palco para cantar.

 

Publicidade
Publicidade
  • Com Ivete e Alok, o time imenso de modelos, a estrutura do desfile, o jantar e as bebidas abundantes – champanhe Perrier Jouet à vontade, toda a festa se perguntou qual foi o investimento da noite. A cifra falada foi de 4 milhões de reais (a marca não confirma). Se valeu a pena? Com desfile transmitido ao vivo na internet e a #Lelis30anos com mais de 1200 posts no Instagram, certamente sim. 

 

Publicidade
Publicidade
  • O troféu cordialidade da festa vai para Donata Meirelles, que na fila de entrada, diante da chuva, trouxe todos para a proteção da marquise e conseguiu manter intacto o penteado das convidadas.

 

Publicidade
Publicidade
  • Único escorregão de uma noite linda, ainda mais em tempos de país dividido e onde o que mais se prega é a união, foi a pista de dança com uma área VIP. Esse tipo de segregação não combina mais. 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade