Clique e assine com até 92% de desconto
VEJA Gente Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

O ataque a campanha da atacante do futebol feminino do Santos

Com um Mundial e uma Olimpíada pela seleção brasileira, ela voltou em 2020 da Coreia do Sul, onde jogou por sete anos

Por Eduardo F. Filho Atualizado em 23 out 2020, 10h39 - Publicado em 23 out 2020, 06h00
THAIS DUARTE – Reprodução/Instagram

Desde os 7 anos, Thais Duarte escuta a mesma frase: “Deixa a menina jogar”. Na primeira vez, saiu da boca de seu pai, que insistia para a escolinha de futebol do São Paulo permitir que a garota treinasse com rapazes. “Menino joga com menino e menina com menina”, ouvia. O jogo virou: aos 27 anos, Thais é atacante do futebol feminino do Santos. Com um Mundial e uma Olimpíada pela seleção brasileira, ela voltou em 2020 da Coreia do Sul, onde jogou por sete anos. “Aqui não ganho nem metade do que ganhava lá fora”, diz. Bem na semana em que o Santos foi engolido pela controvérsia da contratação de Robinho, julgado por estupro na Itália, Thais foi lançada como modelo da campanha do Outubro Rosa de uma patrocinadora do clube — e detonada nas redes. “Não podemos deixar um caso desses comprometer uma campanha tão bonita”, pede.

Publicado em VEJA de 28 de outubro de 2020, edição nº 2710

Publicidade