Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
VEJA Gente Por Cleo Guimarães Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

Martinho da Vila na faculdade: ‘Queria ficar mais gabaritado’

No quinto período de Relações Internacionais, sambista diz que quer se preparar para cargo maior na CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa)

Por Maria Carolina Maia Atualizado em 10 mar 2017, 18h23 - Publicado em 10 mar 2017, 18h03

É sem alarde – ou devagar, devagarinho – que Martinho da Vila, 79, vem cursando Relações Internacionais em uma faculdade paga do Rio de Janeiro. Os que desconheciam a empreitada acadêmica do sambista, iniciada em 2015, ficaram admirados ao vê-lo dentro de sala de aula, em uma foto tirada por um colega e postada na internet, nesta semana. Martinho, mesmo, não mostra qualquer espanto. A incursão universitária, que pode levá-lo a um cargo mais alto na CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), da qual é embaixador da boa vontade, é feita em ritmo moderado.

  • “Passei no vestibular e escrevi à direção da Estácio de Sá, pedindo para ser aluno especial, aquele que faz o curso para adquirir conhecimento, não para formação profissional. Eu estudo as matérias que mais me interessam, não preciso fazer provas. Estatística, por exemplo, eu não vou fazer”, conta o cantor, citando uma matéria longe de sua predileção.

    O sambista também refuta comparações com um de seus hits, O Pequeno Burguês (aquele dos versos “Felicidade, passei no vestibular / Mas a faculdade é particular”), que seus colegas parecem desconhecer. “São meninos de 20 anos, que tinham 18 quando entrei. Eles me veem com naturalidade, me veem como igual a todo mundo.”

    Segundo Martinho, que enfrenta pela primeira vez a vida de estudante universitário, a experiência é motivada por seu envolvimento com a CPLP. “Sou embaixador da boa vontade, então, quis adquirir conhecimento. Queria ficar mais gabaritado para a função. Se tiver a possibilidade de ser ministro ou secretário-geral da instituição, eu estarei mais preparado”, conta, embora negue ter um plano de carreira em mente. “Meu projeto de vida é cantar e fazer shows. Mas devagarinho dá para fazer muitas coisas. Hoje faço quatro matérias por semestre.”

    Entre as atividades do embaixador, está a de fazer palestras ou a de simplesmente representar a CPLP pela fama que possui. No próximo dia 21, Martinho da Vila vai ministrar uma aula-magna na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Entre as atividades dos alunos, está a de estender o convívio da classe para o café ou bar mais próximo. “Já fui algumas vezes, mas a aula termina muito cedo, às 11h30, ainda não estou no clima de bar.”

    Continua após a publicidade
    Publicidade