Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
VEJA Gente Por Cleo Guimarães Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

Ludmilla relata casos similares ao da filha de Bruno Gagliasso

Capa da revista COSMOPOLITAN de dezembro, a funkeira relatou casos similares ao episódio abjeto contra a filha de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank

Por Bruno Meier 3 dez 2017, 16h42

Raríssimas são as vezes em que se viu Ludmilla com o cabelo natural. A cantora diz que começou a alisá-lo para seguir as amigas da escola. “O meu era o único diferente, crespo, cacheado. Eu queria ter o cabelo igual ao delas, e ficava passando formol na cabeça”, disse à revista COSMOPOLITAN que está chegando a bancas e tablets. Na semana do episódio abjeto de racismo contra a filha de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank, a funkeira conta que já sofreu ataques similares. “Uma mulher foi me chamar de macaca no aeroporto. Também já escutei: ‘Foto com essa macaca aí, quero não’. Na mesma hora, fui à delegacia. Racistas não passarão.”

 

Publicidade