Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
VEJA Gente Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Globo se posiciona sobre escolha polêmica para série sobre Marielle

A escalação de Padilha e da roteirista Antonia Pellegrino foi rechaçada nas redes sociais

Por João Batista Jr. Atualizado em 13 mar 2020, 10h42 - Publicado em 13 mar 2020, 06h00

Diretor da franquia Tropa de Elite e da série Narcos, da Netflix, José Padilha estava nos acertos finais com a Amazon para capitanear uma série sobre a vereadora Marielle Franco, assassinada há dois anos, quando recebeu a proposta da Globo para cuidar de um projeto similar. Foi atraído pela audiência da emissora carioca e pelo cachê para lá de vultoso (os valores não foram divulgados).

A escolha de Padilha e da roteirista Antonia Pellegrino foi rechaçada nas redes sociais (leia a coluna de Walcyr Carrasco, na pág. 95), sob a alegação de ausência de negros na produção (claro, houve quem lembrasse O Mecanismo, sobre a trajetória de Sergio Moro). O diretor disse ter sido vítima de “linchamento moral” e que Marielle, a quem conheceu, nunca o chamou de “fascista”. A VEJA, a Globo afirmou em nota: “A diversidade e a inclusão sempre foram premissas desta obra, com a participação de negros em papel de destaque”.

Publicado em VEJA de 18 de março de 2020, edição nº 2678

Publicidade