Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
VEJA Gente Por Cleo Guimarães Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

Adele teve medo. Muito medo

Cantora confessa que morte de Amy Winehouse fez com que temesse o mesmo fim: 'Sempre tive uma relação muito próxima com o álcool'

Por Cleo Guimarães 18 out 2021, 11h22

Reclusa e avessa à fama, a cantora Adele deu uma rara entrevista à edição americana da Vogue, na qual confessa que a morte de Amy Winehouse (1983-2011) a deixou apavorada. “Fiquei famosa justamente depois da sua morte. E ela morreu diante dos nossos olhos”, explicou, acrescentando que sempre teve “uma relação muito próxima” com o álcool.

Tom Cruise: sem perdão nas redes sociais

A morte de Amy e sua luta contra as drogas e a bebida, fartamente ilustrada pelos tabloides sensacionalistas, levaram Adele a resguardar-se ainda mais. “Fiquei trancada em casa. A imprensa marca em cima, isso é enlouquecedor”. A cantora também contou que vem fazendo “muita terapia” e meditação, além de exercícios físicos “umas duas ou três vezes por dia”. Emagreceu 45 quilos, mas diz não ter sido movida pela vaidade. “Nunca foi sobre perder peso, mas sobre ficar forte e o mais longe possível do telefone”.

A surpreendente liberação conjugal da princesa Catharina-Amalia

 

Continua após a publicidade

Publicidade